Últimos posts

TALENTO OU DOM ESPIRITUAL? (um estudo bíblico)

Show de Talentos

                                                                                                          1 Coríntios 12:1-11

1.  Talento Natural

Talento: do latim: talentum, do grego antigo: τάλαντον, talanton, significando “escala”, “balança”. Nome de moeda; Rico; Grande e brilhante inteligência; Disposição natural ou qualidade superior; Grande capacidade; Pessoa possuidora de inteligência rara.

CAPACIDADE concedida por Deus a todos os homens indistintamente, com o objetivo de capacitá-los ao serviço à humanidade e à própria realização, na esfera natural.

O Talento Natural pode e precisa ser desenvolvido ao longo da vida.

Pode ou não ser colocado à serviço de Deus. Pode ou não ser colocado à serviço da humanidade. Pode ou não ser colocado à serviço do próprio indivíduo. Pode ou não ser colocado à serviço do bem ou do mal.

2.  Talento Adquirido

CAPACIDADE conquistada e desenvolvida através da perseverança individual, motivada pelas circunstâncias ou pela apreciação do talento natural. O Talento Natural, na maioria das vezes, será superior ao Talento Adquirido. Sua serventia, porém, é igual ao do Talento Natural.

Obs.:   Um indivíduo pode realizar tarefas e/ou desenvolver um Ministério Cristão Evangélico bem sucedido usando apenas seus talentos naturais ou adquiridos (consagrados ou não ao Senhor), sem a intensidade do Dom Espiritual, na dimensão do Espírito Santo.

3.  Dom Espiritual

Dom: Dádiva, presente; Capacidade, habilidade especial que nos é dado por Deus para realizar determinada função; Poder, virtude. Dons (do grego charismatõn) – poderes espirituais dados pelo Espírito aos filhos de Deus.

(1 Pedro 4:10) – Cada um administre aos outros o dom como o recebeu, como bons despenseiros da multiforme graça de Deus.

CAPACIDADE PERFEITA concedida pelo Espírito Santo aos crentes indistintamente por ocasião do novo nascimento.

Os Dons Espirituais têm o objetivo de capacitar o crente para servir à Deus e à Igreja na esfera espiritual. O crente, por outro lado, experimenta o gozo do Espírito Santo.

A manifestação dos Dons Espirituais não significa, necessariamente, que aquela pessoa ou Igreja é “espiritual”. Para ser espiritual, o crente e a Igreja precisam buscar a maturidade espiritual e o aperfeiçoamento do manejo dos Dons Espirituais.

Todas as Igrejas Cristãs Evangélicas têm todos os dons espirituais de que necessitam (segundo a “multiforme graça de Deus”, já manifestados ou ainda latentes), distribuídos entre os crentes pelo Espírito Santo, de acordo com seu propósito, que é o de capacitá-las a reproduzir o ministério de Cristo. Os Dons Espirituais são imprescindíveis para a saúde espiritual da Igreja, sem o que ela funciona numa perspectiva puramente humana.

Um indivíduo pode pedir ao Espírito Santo que lhe conceda determinado Dom Espiritual, no qual gostaria de ser usado. O Espírito Santo pode lhe conceder ou não.

A manifestação dos Dons Espirituais não depende dos talentos, porém, ambos podem se manifestar em harmonia num determinado momento.

 Resumindo:

O talento é algo natural, o homem já nasce com ele, seja cristão ou não. O dom é dado por Deus, é uma capacidade, habilidade sobrenatural que é dada exclusivamente ao crente para edificação do corpo de Cristo.

Para que servem os dons?

Para a edificação da igreja. Cada cristão tem pelo menos um dom, concedido contínua e gratuitamente para uso da edificação do corpo. A diversidade no corpo não surge por acaso, é planejada por Deus e essencial. por isso não deve existir inveja, van glória, timidez, preguiça ou ambição.

Quais os dons existentes?

Há diversos dons para diversos serviços. Toda Trindade está envolvida no exercício dos dons concedidos. Veja alguns exemplos:

  •  Palavra  (v8) – do grego – logos: é a capacidade de comunicar.
  • Sabedoria. Análise penetrante daquilo já revelado.
  • Conhecimento.  (Efésios 4:11) – E ele mesmo deu uns para apóstolos, e outros para profetas, e outros para evangelistas, e outros para pastores e doutores,
  •  Fé (v9) – em grau superior. Vinda do Espírito. (Mateus 17:19) – Então os discípulos, aproximando-se de Jesus em particular, disseram: Por que não pudemos nós expulsá-lo? (Mateus 17:20) – E Jesus lhes disse: Por causa de vossa pouca fé; porque em verdade vos digo que, se tiverdes fé como um grão de mostarda, direis a este monte: Passa daqui para acolá, e há de passar; e nada vos será impossível.
  • Cura (v9) – dons de curar (no plural): são para diversos tipos de doenças. Apontam para a futura redenção do corpo.
  • Profecia (v10) – transmissão imediata de instruções ou conforto inspirada por Deus. (1 Coríntios 14:3) – Mas o que profetiza fala aos homens, para edificação, exortação e consolação.
  • Discernimento (v10)
        • (1 Coríntios 2:15) – Mas o que é espiritual discerne bem tudo, e ele de ninguém é discernido.
        • OBS: as manifestações sobrenaturais podem vir de Deus, de Demônios ou da própria pessoa.
        • (1 João 4:1) – AMADOS, não creiais a todo o espírito, mas provai se os espíritos são de Deus, porque já muitos falsos profetas se têm levantado no mundo.
        • (1 João 4:2) – Nisto conhecereis o Espírito de Deus: Todo o espírito que confessa que Jesus Cristo veio em carne é de Deus;
        • (1 João 4:3) – E todo o espírito que não confessa que Jesus Cristo veio em carne não é de Deus; mas este é o espírito do anticristo, do qual já ouvistes que há de vir, e eis que já está no mundo.
  • Línguas (v10) – desconhecidas ás vezes misturadas com línguas conhecidas. Geralmente precisam do dom de interpretação.

Existem muitos outros Dons, você já sabe qual é o seu? Deus quer te usar, usar tua vida pra edificação de outros. Ore e busque, você já nasceu com talento, agora descubra o dom que Deus te deu!

  1.  Unção Ministerial

É a DISTINÇÃO ESPECIAL concedida por Deus que marca, separa e capacita alguns crentes para ministérios específicos no Reino de Deus e na Igreja Local, sendo que para isso o Espírito Santo relaciona-se com eles num grau e numa dimensão muito maior.

Estes ministérios específicos estão relacionados em Efésios 4.11, a saber: Apóstolo, Profeta, Evangelista, Pastor e Doutor (Mestre). A medida da unção é diretamente proporcional ao sucesso ministerial, isto é, na capacidade de realizar a obra de Deus.

 5. O Papel da Igreja, pastores e líderes.

5.1 – em relação aos talentos:
1.  Fazer um levantamento dos talentos que há na Igreja local.
2.  Levar os crentes a decidir consagrar seus talentos ao Senhor.
3.  Designar tarefas aos crentes de acordo com seus talentos.
4.  Proporcionar atmosfera adequada para que os talentos sejam usados em ordem e harmonia na Igreja local.
5.  Ensiná-los sobre as diferenças entre Talentos, Dons Espirituais e Unção Ministerial.

5.2 – em relação aos Dons Espirituais:

1. Fazer um levantamento dos Dons Espirituais que há na Igreja Local.
2.  Designar tarefas aos crentes de acordo com seus Dons Espirituais.
3.  Proporcionar atmosfera adequada para que os Dons Espirituais se manifestem em ordem e harmonia na Igreja local.
4.  Ensiná-los sobre as diferenças entre Talentos, Dons Espirituais e Unção Ministerial.

5.3 – em relação à Unção Ministerial:
1. Fazer um levantamento dos crentes que têm um chamado especial ao ministério.
2. Conduzi-los ao seu ministério (treinamento e ordenação).

Café com Deus – Agosto / 2014

COISAS DA VIDA…

VIDA LOKA1

 

Por Márcio Marques

“Vida louca, vidaaaa…. Vida breve!”¹

Cazuza, grande poeta brasileiro, musicou maravilhosamente boa parte dos nossos sentimentos, especialmente aqueles ligados diretamente à inquietude, indignação política e social, revolta. Em sua voz ecoa a fórmula que arrebata as nossas vidas: “o tempo não para!” E ele segue insistindo: “não para, não, não, não para!” Deixa claro, portanto, que o nosso maior algoz não para mesmo!

Essa frase pode nos ensinar muita coisa. Pode também nos transformar em vagões desgovernados, guiados unicamente pela necessidade de manter o movimento, visto que o tempo não para!

E pelo fato de não parar, ele engole todas as coisas. Arrasta vidas, emoções, dinheiro, bons momentos, saúde. Leva consigo tudo o que conquistamos e também o que perdemos. O tempo é o repositório de todas as coisas. E nessa marcha que não se pode interromper, penso que devemos embarcar com consciência e atitude.

Consciência para compreender que tudo passa. Tudo mesmo! Tanto aquilo que consideramos muito bom, quanto um sofrimento que pensamos ser interminável, passam.

Atitude, para valorizarmos o que de fato importa.

Pela consciência de que tudo passa, chegamos ao raciocínio que somos todos iguais. Tudo passa e passa para todos! Mas, quanto ao valor que damos às coisas, nisso somos singulares. Cada um escolhe os tesouros que vai conquistar e reter:

“Não ajunteis tesouros na terra, onde a traça e a ferrugem tudo consomem, e onde os ladrões minam e roubam; Mas ajuntai tesouros no céu, onde nem a traça nem a ferrugem consomem, e onde os ladrões não minam nem roubam. Porque onde estiver o vosso tesouro, aí estará também o vosso coração.” Mateus 6:19-21

Cada um tem uma fórmula particular de calcular o valor de seus tesouros. Cada indivíduo tem um espaço próprio para guardar suas conquistas e, por certo, quão mais preciosa, mais protegida estará. Cada homem e mulher organiza suas prateleiras de modo a expor ou esconder seus bens e talentos, na medida em que conhecem a si mesmos e desejam decorar suas vitrines.

Mas, se o tempo não para e a vida é louca, será que realmente temos tempo e inteligência para desfrutarmos os tesouros que acumulamos?

Cada um de nós conhece gente que vive por viver. Vive com o pé direito no acelerador, aumentando ainda mais a velocidade do breve curso da história, chamada vida. Como resultado, vão deixando de ganhar novas experiências e vão perdendo conteúdo pelo caminho. Ficam sem essência.

Realmente acredito que a melhor maneira de não embarcar nessa é ter os olhos voltados para o Alto. É a melhor maneira de não ser empurrado pelas demandas do mundo, a ponto de deixar de perceber a beleza de um Ipê Amarelo, que explode na aridez do Planalto Central. A ponto de repetir as mesmas coisas, sem compreender seus próprios pensamentos. A ponto de se reduzir, como ser humano, a um painel de símbolos, desprovendo-se de personalidade.

Mas, voltando ao aloprado Cazuza, vida louca e tempo que não para formam uma mistura querosenada, apta a gerar ansiedade, frustração, perdas, desperdício de energia.

Como interagir com esse mundo sem entrar em colapso? A grande dica que lanço vem da música de outro compositor brilhante, que talvez você AINDA não conheça, chamado Léo Vox: “deixa Deus entrar na sua vida!” E eu acrescento: deixa ele comandar! Você verá que suas prioridades serão reordenadas. Seu tempo será remido e, o melhor de tudo, haverá paz em seu coração!

As coisas continuarão acontecendo, tanto as boas quanto as ruins. Mas, sua compreensão diante delas será completamente parcial, pois você vai achar que tudo está se organizando a seu favor! Louco isso, não? Mas o barato é esse: usar a loucura (santa) para conseguir se manter sóbrio nessa vida louca!

Coisas da vida…

 Márcio Marques

 

¹ Vida Louca Vida ficou famosa na interpretação de Cazuza, mas a autoria desta música é de Lobão e Bernardo Vilhena, em 1987.

 

_________________________________

VIDA LOUCA VIDA

Lobão e Bernardo Vilhena

 

Vida louca vida, vida breve
Já que eu não posso te levar
Quero que você me leve
Vida louca vida, vida imensa

Ninguém vai nos perdoar
Nosso crime não compensa

Quando ninguém olha quando você passa
Você logo acha eu tô carente, eu sou manchete popular
Tô cansado de tanta babaquice, tanta caretice
Dessa eterna falta do que falar.

Se ninguém olha quando você passa
Você logo acha que a vida voltou ao normal
Aquela vida sem sentido, volta sem perigo
É a mesma vida sempre igual

Se alguém olha quando você passa
Você logo diz: “Palhaço!”
Você acha que não está legal

Perde todos os sentidos…
Corre sempre um perigo
Você passa mal

Vida louca vida, vida breve
Já que eu não posso te levar
Quero que você me leve

Vida louca vida, vida imensa
Ninguém vai nos perdoar
Nosso crime não compensa
Não,não compensa

Se ninguém olha quando você passa
Você logo acha eu tô carente, eu sou manchete popular
Tô cansado de tanta babaquice, tanta caretice

Dessa eterna falta do que falar
Vida louca vida, vida breve
Já que eu não posso te levar
Quero que você me leve

leve,leve,leve,leve,leve,leve…

Link: http://www.vagalume.com.br/cazuza/vida-louca-vida.html#ixzz39SA6ywli

 

EXPECTATIVAS

Não… Não existe mágica!
Não, não existe algo sensacional para acontecer.
Não, não pense que a Copa no Brasil será algo extraordinário e nem que o próximo show da sua banda preferida fará milagres na sua existência…

Tenho visto muitas pessoas da minha faixa etária insatisfeitas. Insatisfeitas com a vida e com o rumo das coisas. Muitas destas pessoas são discípulos e discípulas de Jesus. Pessoas sinceras. Que buscam viver uma vida em harmonia com o vizinho, consigo e com Deus. Porém, pessoas insatisfeitas. Muito insatisfeitas.

Como nos ensinou Carlos Drummond de Andrade:
“Nossa dor não advêm das coisas vividas, mas das coisas que foram sonhadas e não se cumpriram.”

O casamento não foi tão bom assim… E agora, o que devo fazer? Em qual farmácia compro “sexo em cápsulas”, “abraços em gotas” ou “paixão tópica”?
A vida profissional não é maravilhosa… E agora? Onde encontrar o “elixir do trabalho sensacional” ou o “perfume da carreira estonteante”?
Meu corpo? Bem, ele está perdendo a guerra contra o tempo e a gravidade. Qual cirurgião está vendendo “pele pêssego de 16 anos”, “seios arrebatadores de 20 anos” ou “barriga extrema anti-gestação”?

As coisas não foram exatamente como eu queria, mas para a maioria das pessoas e na maioria do tempo eu finjo que elas foram muito melhores do que realmente são. Minto para a vida com um sorriso amarelado pelo tempo e pela corrosiva dúvida… E se? E se?

Buscamos mais, queremos, mais, desejamos mais. O carro que nos fez suspirar ano passado não é mais lavado com frequência. Da viagem internacional tão programada e aguardada, que estourou meu cartão de crédito e meu bom relacionamento com o gerente, restaram fotos desbotadas e a dúvida se realmente existiu: “Será que existiu mesmo? Porque hoje não sou mais feliz que antes da viagem?!”.

As coisas não nos preenchem completamente.
Nada nos preenche completamente.
Na busca da felicidade, compramos efemeridades.
Não vamos nos enganar. Nada realmente nos completa integralmente. Somos cronicamente incompletos, posto os nossos sonhos jamais se esgotarem. Vencida uma etapa, já sonhamos com a segunda e nos mantemos incompletos novamente. Num ciclo crônico de buscas.

Salomão fala muito sobre a existência humana e diz que por mais que ele tenha dado prazer à sua alma, ainda viu-se incompleto. Possuiu todas as mulheres que um homem pode desejar. Teve mais bens que todos seus antepassados. Comandou tudo e todos. Teve regalias, muitas. Mas ele concluiu que tudo isto de nada adiantava, pois no fim todos morreremos. Salomão foi de uma simplicidade cruel, dizendo que nós não somos diferentes dos animais, pois apenas vivemos e morremos na ilusão e depois de um tempo, ninguém mais se lembrará de quem nós somos ou fizemos. (Leia este discurso do Rei Salomão no capitulo 3 do livro de Eclesiastes)

A tristeza reside nas expectativas exageradas.
A frustração é filha da expectativa gorda.
A angústia canta louvores à expectativa hipertrofiada.

O que nós esperamos da vida? Expectativas realistas é a melhor fórmula para uma vida emocional saudável. A maioria das coisas que nos entristece ou atormenta são reflexos de algumas escolhas nossas. Escolhemos errado? Lembrem-se, todos tem as mesmas chances de 50% de acerto ou erro. Aliás, quem disse que você errou? Qualquer que fosse a sua escolha, ela traria alegrias e dissabores. Expectativas demais!

Muitas vezes vivemos na expectativa que algo extraordinário irá mudar o rumo das nossas vidas. Não, nada de extraordinário acontecerá porque o principal dos milagres já aconteceu: A sua vida!

Nenhum acontecimento sensacional irá mudar o seu humor ou o seu temperamento. Você sempre será você mesmo. Aprenda a viver com você.

Sim, claro que devemos nos permitir alguns prazeres vez ou outra. Nada melhor que uma auto premiação. É como um “meus parabéns” após um trabalho bem-feito. A única coisa que pode mudar você ou o seu humor é você mesmo, ninguém mais. Uma decisão de curtir o que tem. Rir das decisões que tomou e decidir ser feliz “durante os poucos dias que Deus te dará debaixo do sol”. Não gaste seus dias com emburros, resmungos e cara feia, mas alegrando quem está ao seu lado, aguentando suas ocasionais carrancas. Seja um sol esquentando os corações que cruzam seu caminho. Seja o beijo doce que causa apneia. Seja a palavra sensata. Seja o seu próprio evento que muda a sua história.

Uma forma de viver bem é ajustar as expectativas. Posso sonhar longe, mas não devo crer que chegarei literalmente a Marte. Posso até desejar muito, mas sabendo que não terei tudo. Mediocridade? Não, não se trata de viver uma vida medíocre, mas viver intensamente todas as coisas que possui. Se você tem apenas um pôr-do-sol, curta-o intensamente, pois muitos não podem vê-lo. Se não está dando pra visitar aquele restaurante da moda, baixe a receita pela internet e curta os aromas dos temperos invadindo a sua cozinha, a alegria do barulho do alho estalando na frigideira e as cores sensacionais dos ingredientes… Crie o clima e curta o prazer para você e para quem come com você. Convide alguém para comer com você!

Sim, sonhe! Mas não de forma tão irresponsável que sua vida transforme-se num pesadelo.
Sonhe. Sonhe mesmo! Mas sabendo que a Deus pertence o “realizar”.
Crie uma vida nova a cada manhã. Mas crie expectativas reais.

Nenhum trabalho é excelente demais – todos trarão dias de angústia.
Nenhum cônjuge é sensacional demais – todos eles fedem quando não tomam banho.
Nenhuma casa é linda demais – mais vale calor humano que natureza morta.

Alegria é viável. Salomão diz que o vinho alegra o coração do homem. Salomão teve um discurso por vezes mal-humorado com relação à existência, mas ele foi muito objetivo e direto dizendo que “não há nada melhor para o homem debaixo do sol do que comer, beber e viver a vida regaladamente” (Eclesiastes 3:13), porque “tudo o que o homem construir com muito suor, não ficará para ele, mas para quem ele sequer sabe como administrará tudo o que fez” e que no fim das contas “a suma é, teme a Deus e guarda seus mandamentos, pois este é o dever de todo homem”( Eclesiastes 12:13).

———————————-

Matt ficou mundialmente conhecido com a sua dancinha esquisita! Celebridade imprevisível!
Pergunta: Ao viajar o mundo todo Matt buscava felicidade ou fugia da tristeza? O quão mais feliz ele é hoje, que sua cara povoa a internet? Matt foi Matt. Permitiu-se uma escolha imprevisível e deixou um legado cômico, original,mas sobretudo: IMPREVISÍVEL!

OS “CRENTES” E A POLÍTICA: Como isto funciona?

politicaReligiao
Este texto não tem a intenção de definir a posição político-ideológica do editor deste website. Ao contrário, considerando o fato de:
a) Sermos formadores de opinião para parte da cristandade brasileira,
b) Estarmos passando por ambiente político denso,
c) Bem como estarmos próximos de período eleitoral,
d) Nosso objetivo é suscitar a reflexão do leitor por meio de subsídios. Boa leitura. Boa reflexão. E chegue às suas próprias conclusões!

OS “CRENTES” E A POLÍTICA: Projeto Político Feito em Nome da Igreja Evangélica ou de DEUS.

“Primeiro, não estamos inaugurando uma Era, não estamos inventado a roda. O que corrompeu e corrompe a Igreja fazendo-a “igreja”, foi exatamente o amasiamento com a Política. Assim, apenas pegue qualquer livro razoável sobre História da Igreja e você verá que quase todas as calamidades “cristãs” nasceram desse casamento entre ideologia política e igreja.

Segundo, quando a igreja entra num projeto político ela nunca o faz em seu próprio nome, pois, para todos, ela é a “representante de Deus” nas coisas da Terra. Embora a “igreja” não seja representante de DEUS, porém, tendo “vendido” esse papel para o povo, não há como separar qualquer de seus atos da vinculação ideológica que eles criam em relação a “Deus”.

Terceiro, DEUS não tem nada a ver com César. Que se dê a César o que ele diz que é dele. E isto é apenas uma estampa numa nota de dinheiro ou numa moeda. DEUS, todavia, não precisa da igreja na política, pois, além de que Seu reino não é deste mundo, a participação da igreja em tais projetos sempre “ideologiza” o nome de DEUS e produz os maiores surtos de megalomania e corrupção dentro da “igreja” e no coração de seus líderes.

Quarto, a própria história raramente dá testemunho de gente crente que, como crente, fez qualquer diferença no processo processo político. Os grandes cristãos que influenciaram o mundo não o fizeram como “cristãos”, mas apenas como cidadãos independentes, vivendo a verdade de suas próprias consciências como indivíduos interessados no bem-comum. Os seres que mais influenciaram politicamente o mundo ou não eram cristãos ou eram cristãos que fizeram e fazem politica em nome do homem, de sua dignidade, mas nunca em nome de DEUS.

Quinto, quem faz política em nome de DEUS faz grande mal ao povo em geral, e, mesmo que seja na ignorância, acaba por pavimentar o caminho da corrupção dos crentes. O ação de Martin Luther King, nunca foi “religiosa”, mas apenas cidadã e humana, botando ele a sua própria cara para apanhar, e sem fazer evocações de sua relação com a “igreja”.

Sexto, só creio que a participação da igreja em qualquer processo político só acontece com saúde, quando não é feita nem em nome da igreja ou de DEUS. Por quê será que a fase de maior poder espiritual da igreja aconteceu até o 4º Século, quando a igreja era perseguida e quando não tinha nem prata nem ouro, mas tinha grande poder no Espírito Santo?

Sétimo. Política é coisa para ser feita pelo homem e em nome do homem, não em nome de DEUS. Quando os “crentes” surtam e creem que salvarão a pátria, em geral o que acontece é que eles arruínam a fé.

Oitavo, só respeito crente na política quando o sujeito não tem entre os crentes a sua única base eleitoral; e, sobretudo, se tal pessoa é capaz de ser cristã sem usar a bandeira evangélica como ideologia de campanha ou como argumento de superioridade moral e ética. Há uns vaga-lumes aqui e ali, mas 99% dos “evangélicos” que aparecem no mundo político, seja como candidato ou seja com pastor-cabo-eleitoral, está dentro do esquemão!

Nono, quem usa o nome de DEUS ou a fé para fazer política-partidária acaba por se tornar um grande corruptor de almas, sem falar que a própria pessoa vai ficando cínica e macerada, a ponto de desenvolver uma total falta de temor de DEUS. Afinal, sabendo o que fazem, com quem fazem e como fazem, e já por tantos anos, só posso pensar que além de não conhecerem a DEUS e ao Evangelho, tais pessoas nem mesmo creem em DEUS; posto que não o temem; pois, caso o temessem, não brincariam com coisa tão séria! Ninguém que convive gostosamente nesse meio preserva a alma em pureza para com o Evangelho!

Décimo, então um cristão não pode se envolver em política? Minha resposta é simples: Sim, ele pode. Todavia, que faça isto como cidadão, com boas propostas, e que sejam para todo o povo. E mais: que não use a “igreja” e muito menos a fé a fim de conquistar eleitorado! E não vote em ninguém que use o Evangelho para se promover politicamente.

Décimo primeiro, você pode imaginar JESUS interessado em eleger ou em posicionar gente dentro das estruturas de poder a fim de adiantar o lado do Evangelho? Tente responder a essa pergunta e você nunca mais terá dúvidas quanto ao que se afirma aqui! A verdade é que o Evangelho de JESUS não precisa de nada disso. O grande poder da verdadeira igreja está em pregar o Evangelho do Reino, com pureza, poder do Espírito e simplicidade.

Décimo segundo, estes que fazem assim, já não creem em DEUS, mas apenas no fato de que o “Senhor tarda”… Há um princípio do Evangelho de JESUS, o qual não necessita de poder herdado dos reinos deste mundo.”

CAIO FÁBIO, com adaptações.
Deus-e-a-política

BOM DIA!

choque

(Transcrevo e-mail recebido hoje de um amigo missionário).

“Desejo a você um bom dia!

Hoje fui a uma cidade do interior de Pernambuco, que fica 220 km de Recife, chamada Pesqueira. Uma cidade pequena, antiga e com muitas igrejas católicas antigas.

Fomos ate lá para conhece dois garotos que o conselho tutelar do município, nos pediu para abrigar no abrigo Casa Esperança, aqui em Recife, onde eu trabalho.

Um dos meninos é de uma família de cinco irmãos, uma irmã de 14 anos, esse menino que fomos conhecer de 12 anos, mais outra mocinha de nove, outra de oito e um garotinho de um ano e sete meses e uma mãe drogada, e um pai ex-presidiário falecido.

Esse garoto se chama Gabriel, eu conversei com ele, tentado conhecê-lo e mostrando quem somos e o que fazemos. Tive na realidade um monólogo, pois quase ele não disse nada, em vários momentos, mas em um tempo desse monólogo, eu pude ver ele chorando e pude perceber que, apesar de estar  vivendo quase uma vida nas ruas, cheirando tinner, não tendo estrutura em casa, a mãe querendo que ele vá para o abrigo, mesmo assim ele demostrou tristeza ao pensar em sair do meio de sua família. Gabriel me disse apenas que não quer ir, mesmo com todos os benefícios que falei que ele teria no abrigo.

Eu fiquei pensando em como a família é peça fundamental nas nossas vidas, e mesmo diante de uma família toda quebrada, a preferência dele ainda é ficar lá.

O outro garoto que fui visitar mora em uma vila na mesma cidade, chamada VILA DO PRESIDIO. Quando cheguei lá entendi o nome; a vila é formada literalmente em frente à porta do presidio municipal e quase todos os moradores são envolvidos com drogas, tanto adultos como crianças, como José Vitor de 12 anos, que fomos conhecer.

Encontramos José Vitor sentando na porta de um bar, com uma garrafa de refrigerante cheia de tinner e ele estava conversando com alguns homens e se drogando.

Ele é um menino alegre, aparência de índio, e quando conversei com ele, apresentei a mesma proposta que tinha feito a Gabriel e ele aceitou na hora e já queria que fôssemos buscar ele dia seguinte. Ele não tem pai e nem mãe, só irmãos já adultos, onde ele um dia dorme na casa de um, outros dias na rua, e assim vai levando sua vidinha de 12 anos na sua orfandade.

A primeira coisa que o irmão dele me disse foi: “esse ai não tem mais jeito”.  Pude ver nele muito desencorajamento no menino, que segundo ele, dá muito trabalho.

Eu voltei dessa cidade muito pesaroso pelas situações que encontramos lá, pois sei que talvez poderemos ajudar a esses dois garotos, mas e os demais irmãos que  ficarão para trás? E aquele bebê de um ano e sete meses? E a adolescente que está sendo obrigada a se tornar mulher e tomar conta da família e até de se prostituir para conseguir grana? Quem vai cuidar? E as demais crianças que estão nas ruas? E o resto de família que fica para trás, quem vai “juntar os cacos”? Para você e para mim eu desejo um bom dia!

O motivo desse meu e-mail? PEDIR SUA ORAÇÃO!  Peço aos amigos e irmãos que orem por essas situações, orem por esses meninos, orem por aquele menina que vai ficar como mãe de quem ela não pariu, orem pelo bebê e orem por nós, que voltamos para casa com sentimento de incapacidade, por não  podermos fazer muito… Obrigado pelas futuras orações e Deus os abençoe.

Para estes personagens reais do cotidiano brasileiro (apesar de  invisíveis para a maioria de nós) não sei como será este dia… Mas a você eu desejo um bom dia.

 

Joberson, Ellyda e Julia Lopes

Missionários

e-mail: jobersonlopes@gmail.com

jobs

Página 1 de 8812345...102030...Última »