45 ANOS E OS SONHOS

happy-family

Há cerca de 2 anos iniciei um novo ciclo e descobri que meus projetos de vida estavam todos concluídos ou em andamento, o que me trouxe uma sensação maravilhosa de completude e dever cumprido.

Nesta época, fiz algumas escolhas importantes de estilo de vida e comecei então a curtir a nova fase de completude! Fiz inclusive várias promessas – ler muitos livros, dedicar mais tempo aos cuidados com a saúde, viajar mais. Contudo, para minha surpresa, minha boa sensação durou pouco, pois logo começou a ser substituída por um vazio que eu não sabia de onde vinha!

Incomodada e inquieta como sou, iniciei rapidamente um processo de screening das áreas da minha vida para tentar descobrir a origem de tal vazio.  Família saudável, trabalho bom, filhos bem encaminhados e felizes, casamento estável e gostoso, contas em dia e ainda por cima morando em uma casinha simpática localizada no que apelidei de “Paraíso Verde”.  Em não encontrando nada que pudesse servir de explicação, ordenei a mim mesma que sossegasse.

Quem dera minha própria ordem tivesse sido cumprida…

Continuei na busca de alguma explicação para aquele vazio, quando uma luz se acendeu: percebi que não nutria mais sonho algum. Zerado! Nenhuma expectativa sequer. Contudo, imaginei que minha constatação fosse irrelevante. Segui. Mas o vazio não me abandonou.

Sonho… eu não imaginava que seu papel na minha vida fosse tão fundamental! A partir desta constatação, compreendi também a esperança da fé em Cristo. Eles se conversam. E conversam comigo o tempo todo.

Resolvi, então, procurar novos sonhos de gente grande, dignos dos meus 45 anos bem vividos. Uns mais nobres e outros nem tanto. Na lista dos nobres existe um projeto de educação profissional para jovens de baixa renda, pois acredito no poder transformador da educação. Acredito na libertação que ela proporciona! Existe também um grupo de Diálogos Femininos – espaço de conversas francas que separem as coisas da alma das ideologias extremistas, unindo mulheres sensacionais em torno da beleza e da alegria do feminino. E no alto da nobreza onírica encontram-se meus netos. Não vou falar deles para não pressionar minha filha e não dar ideia precipitada para meu filho. Com exceção deste último, já tomei providências iniciais para que se transformem em realidade, me trazendo alegrias e realização pura e simples!

Na lista dos sonhos menos nobres tem a construção de outra casa. Por puro prazer! Com uma sala grande o suficiente para receber muitos amigos ao mesmo tempo, sem ter que cancelar a festa em caso de chuva repentina. Uma cozinha bela conjugada à grande sala. Essa cozinha tem sofá para as pessoas sentarem enquanto eu cozinho pra elas. E belos quadros. As paredes são de vidro. Do lado de fora, um jardim belíssimo! Simples. Que se cuide sozinho, pois eu não sei cuidar das plantas (é sonho. Tá valendo!). Uma biblioteca confortável com muitas estantes para acolherem meus livros, único bem material que não gosto de dar. Vou só juntando! Quero um lugar para me perder no meio deles! O quarto pode ser pequeno. Não gosto de passar muito tempo dormindo e já não estou novinha para querer passar taaaanto tempo lá fazendo outras coisas mais interessantes do que dormir. Além disso, tem sofá na cozinha…

Percebem como energiza? Como movimenta? Sonhos nos movimentam! A esperança de uma vida melhor me movimenta! A fé no futuro me mobiliza. E de quebra resignificam as rugas que colecionei na primeira metade da minha vida.

Que os sonhos encubram a chatice característica do meu envelhecimento.

Que os sonhos me mantenham acreditando na transformação e na reinvenção das pessoas – principalmente da minha própria pessoa!

Que os sonhos mantenham meu olhar no nobre, no bom, no belo. Mesmo que para isso eu precise reinventar o bom e o belo!

E se você quiser sonhar comigo, escolha um sonho e será bem vindo!

Simone Maia

(publicado originalmente no blog www.brainheart.com)

Share

Um comentário em “45 ANOS E OS SONHOS

  1. Caramba!!! No momento me vejo nessa situação: sinto um vazio que também não sei de onde vem. Não sou abastado financeiramente, mas tenho uma vida que não me falta nada (bom emprego, casa, família, etc.). Realmente necessito buscar sonhos. Grato. Abraços.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*
*
Website