ADIANTA ORAR PELAS VÍTIMAS DAS TRAGÉDIAS?

CANTOR NETINHO DECLAROU QUE “NÃO ADIANTA ORAR PELAS VÍTIMAS DAS TRAGÉDIAS”

 

            “O cantor baiano Netinho causou polêmica ao comentar no Facebook os recentes ataques à França e a tragédia da cidade de Mariana, em Minas Gerais. No post, o baiano criticou quem pede oração em nome das vítimas. Cantor declarou que “não adianta orar pelas vítimas das tragédias”.

            Ele explicou que, no final do ano passado, já havia reprovado essa atitude, o que causou a revolta de alguns de seus seguidores. “Escrevi, naquela época, um post dizendo que não adianta preces para a resolução de problemas gerados pelo ser humano sem alguma ação do próprio ser humano. Falei que nenhum Deus resolve problemas que os próprios homens causam. Alguns não gostaram do que escrevi e lá veio aquela cansada e cega cantilena: ‘você não acredita em Deus’, ‘Deus é isso’, ‘Deus é aquilo’, ‘Deus resolve tudo’, etc. Aqueles incidentes passaram e, logo depois, vieram outros: Paris foi atacada mais uma vez e mais uma barragem estourou em Minas. Nada, portanto, foi resolvido”.

            “Confirmando o que escrevi, o tempo passou e tudo aconteceu novamente. E as pessoas continuaram apenas rezando. É mais fácil, mais cômodo, mais confortável. Pensam assim: ‘rezo, e assim faço a minha parte, me alivio e apago a minha culpa’. Agora, Paris é atacada mais uma vez e, é isso mesmo? As pessoas continuam APENAS pedindo preces, acreditando que estão fazendo a sua parte e que APENAS isso resolverá a situação. Escrevi na época e escrevo novamente agora: reze por si, reze por sua inteligência, reze por sua clareza!”, finalizou o cantor.

            O baiano apontou o homem como o único responsável. “Até quando a única solução visível para todos será a prece, será Deus? Será que Deus (qualquer que seja ele) merece ser responsabilizado por problemas criados por nós, seres humanos? Enquanto todos se preocupam apenas em rezar, os responsáveis (que são alguns seres humanos) por essas catástrofes seguem livres, impunes e à vontade para seguir fazendo mais e mais do mesmo”. Revoltado, o baiano contesta a responsabilidade dos fatos: “Será que Deus merece ser responsabilizado por problemas criados por nós, seres humanos? Enquanto todos se preocupam apenas em rezar, os responsáveis por essas catástrofes seguem livres, impunes e à vontade para seguir fazendo mais e mais do mesmo”.

Fonte:

https://diversao.terra.com.br/gente/cantor-netinho-critica-pedidos-de-oracao-as-vitimas-francesas,39920e7c1bbaa0b08b380d0640277723ac6y97rw.html

 

NOSSO COMENTÁRIO:

De modo geral, observamos que este ponto de vista do Netinho não é uma exclusividade dele; muitas pessoas compartilham desta mesma opinião, minimizando ou eliminando a participação do espiritual, do místico e do metafísico, mas trazendo para o ser humano TODA a responsabilidade por todasTODAS as coisas boas ou ruins que acontecem neste mundo. Tais pessoas podem ser chamadas de antropocêntricas.

Noutra extremidade, encontramos pessoas que, ao contrário dos antropocêntricos, excluem totalmente o ser humano do debate, mas creditam aos “mistérios espirituais” TODAS as ‘bênçãos’ e TODAS as ‘maldições’, crendo que qualquer manifestação do bem ou do mal é metafísica – de origem espiritual ou mística. O mundo é, portanto, apenas o palco onde todo o bem emana de Deus e todo o mal provém do diabo pela permissão de Deus.

Estes dois pontos de vista são extremados e por isso, discutíveis. Mas podemos concordar que estas duas visões podem e devem caminhar juntas – elas não se excluem.

Como detentores de livre-arbítrio, o ser humano de fato, tem sido o responsável direto por muitas mazelas sociais e ambientais, ao mesmo tempo que tem sido promotor de ações de vida. Contudo, não podemos eliminar jamais o fato de que, paralelamente, Deus se interesse por sua criação e Ele manifesta-se misteriosamente “nas vidas daqueles que O buscam”.

Jesus, por meio de parábolas, ensinou seus seguidores a importância de orar persistentemente, sem jamais esmorecer. Como exemplo, ele deixou a parábola da viúva e do juiz, onde nos é contado que pela persistência e insistência daquela senhora, um poderoso juiz resolveu julgar sua causa, apenas para se ver livre dela. Jesus usa esta parábola para mostrar que ao sermos persistentes na oração, temos grandes chances de alcançar a graça desejada.

E você? Concorda ou discorda do Netinho?

Share

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*
*
Website