AS CARACTERÍSTICAS BÁSICAS DOS VENCEDORES

Por www.femininoplural.com.br

Muitas vezes, em nossa vida profissional, nos deparamos com obstáculos que parecem tão intransponíveis quanto o Himalaia. No entanto, se formos analisar a vida de pessoas que alcançaram grande sucesso, veremos que, na maioria dos casos, elas enfrentaram obstáculos muito grandes – que também eram, aparentemente, intransponíveis. Um exemplo muito marcante é a escritora Helen Keller. Ela nasceu cega e surda. Quem diria que alguém assim chegaria a ser uma escritora. Mas Helen teve a vantagem de contar com uma professora, Anne Sullivan, que lhe ensinou que a palavra impossível existe apenas no dicionário, e não há vida real.

Outro exemplo dramático é o de Gandhi. Quem diria que um “indiano seminu”, como o chamou Sir Wiston Churchill, seria capaz de vencer a teimosia do Império Britânico e tornar a Índia um país livre? E o que dizer da vida de Abraham Lincoln, que conseguiu, provavelmente, ser o maior fracasso no mundo dos negócios, antes de se tornar um dos mais respeitados presidentes americanos?

Apenas para que se tenha uma idéia do que foi a vida de Lincoln, aqui vai uma breve lista dos seus fracassos:

Foi à falência nos negócios aos 31 anos. Aos 32, perdeu uma eleição para a Assembléia. Aos 34, faliu de novo. Aos 35, viu a mulher que amava morrer. Aos 36, teve um colapso nervoso. Aos 38, perdeu novamente uma eleição. E voltou a perder uma eleição aos 43, desta vez para o congresso. E perdeu de novo a mesma eleição aos 46. E de novo aos 48. Já aos 55 perdeu uma eleição para o Senado. E aos 56, perdeu a eleição para vice-presidente. Aos 58, perdeu a eleição para Senador (de novo!). Aos 60, foi eleito presidente dos Estados Unidos – e se tornou um marco na história.

Vamos olhar um pouco para a vida dessas pessoas, e entender o que fez com que alcançassem o sucesso. Pois as três são exemplos de verdadeiros alpinistas da vida, que conseguiram colocar sua meta em um ponto muito alto, e que enfrentaram encostas escarpadas para chegar lá.

Quais foram as ferramentas que usaram? Vamos, com eles, aprender um pouco de alpinismo.

Escolhendo sua montanha

Então, você tem uma montanha pela frente? Essa montanha pode ser desde um chefe insuportável até uma deficiência física grave – não interessa o que é. Interessa que, para você, ela é uma montanha. E você não sabe como transpô-la.

Vamos começar a analisar como lidar com obstáculos vendo a vida do próprio Lincoln. Ela nos ensina algo muito importante. Se formos fazer uma lista de seus fracassos, veremos que:
1 – Lincoln insistiu apenas duas vezes em ser um negociante.
2 – Lincoln insistiu inúmeras vezes em ser um político.

Isso nos mostra uma coisa muito importante, quando se trata de lidar com obstáculos: nós temos que saber, primeiro, que tipo de montanha queremos escalar para alcançar o sucesso.

Pois não adianta nada escalar a montanha errada. Usando um exemplo pessoal e muito prático: na minha família, há um grande número de engenheiros. Mas eu sou uma pessoa que não tem o tipo de habilidade exigida dos engenheiros. No entanto, gastei um ano de minha vida fazendo o primeiro ano de um curso superior de Matemática – apenas porque achava que “deveria” fazer algo ligado às ciências exatas, já que vinha de uma família de engenheiros.

Obviamente, fui um fracasso. E, aprendi que não adianta querer escalar a montanha dos outros. A gente só tem sucesso escalando a própria montanha. Nela, os obstáculos mudam de nome, e passam a se chamar desafios.

Portanto, o primeiro passo ao enfrentar seus obstáculos, deve ser o de analisar em que medida eles não foram impostos por você mesmo, que decidiu adotar uma visão irreal de si.

Se, na sua vida, algo não está dando certo de forma sistemática, é o momento de parar e perguntar a si mesmo se você não está escalando a montanha errada. Algumas dicas sobre como descobrir isso:

A – Faça uma lista de suas características. Faça uma lista das características necessárias para ter sucesso ao enfrentar os obstáculos que você está enfrentando. Seja absolutamente sincero consigo mesmo. Compare as duas listas. São muito diferentes? Se forem, você está na montanha errada.

B – As vezes, entretanto, nós temos dificuldade em analisar a nós mesmos. Nesse caso, é bom recorrer às pessoas que realmente confiamos. Pergunte a duas ou três pessoas que você confia quais são seus pontos fortes. E, se tiver certeza de que isso não fazer com que você fique bravo/a com seus amigos, pergunte também quais são os seus pontos fracos. Compare esses pontos fortes e fracos com as qualidades que você se atribuiu e com as que são necessárias para vencer o obstáculo que você quer vencer.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*
*
Website