ATEUS, GRAÇAS A DEUS!

Grandes filósofos são ateus ou grandes ateus são filósofos?

O desejo da imortalidade é inerente ao ser humano.
Se não me perpetuo pela fé, busco fazê-lo pelas idéias registradas em escritos ou tratados…
Somos todos pão-de-queijo da mesma fornada.
Cada qual buscando sua imortalidade à sua maneira.

Crendo ou não na existência de um criador, o ser humano tem a intrínseca necessidade de se perpetuar, por meio de filhos, de livros, da arquitetura, ou mesmo por meio de uma árvore. Todos querem ser imortal de alguma forma…

Pensa o ateu: Como não sou imortal por meio da fé que não desejo possuir, o serei ao ingressar numa Academia de Letras.

Jeitos diferentes de expressar a mesma pequenez e o mesmo medo de morrer ou de ser esquecido, ou de se tornar irrelevante para a geração próxima.

Deus fez o homem imortal, mas este se perdeu no meio do caminho. No caminho tinha uma pedra, tinha uma pedra? Ou um fruto proibido? A imortalidade perdida continua sendo desejada e perseguida.

Somos todos peixinhos de um só aquário…

Se acredito que a alma perdurará, vivo em paz.

Se não creio, vivo em angústias e a batizo de sabedoria… Que ironia!

Lucino Maia

———————————————–

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*
*
Website