Carta de um Sargento no Haiti

Caro Rev. Luciano Maia

Encaminho a mensagem de um amigo que está no Haiti, sobre o tema proposto no blog. Seria interessante postar a mensagem do Sgt. Leonardo.

“No Haiti, Deus prova mais uma vez que não existe.”

Meu Caro Leo,

Desculpe-me pela demora em respondê-lo. Não fosse o acúmulo de trabalho já teria feito a mais tempo, assim, conto com a compreensão do amigo! Certamente, esse hiato para responder foi providencial, porquanto, pude ler e reler sua mensagem, processo que costumo chamar de “ruminância literária”…Meu amigo, presenciando a tragédia de perto percebi que a maioria das pessoas esclarecidas com quem tive contato após o ocorrido nutria esse questionamento: “Deus existe?”, o que me chamou a atenção foi que grande parte dessas pessoas é religiosa praticante – de vários matizes – confesso que fiquei meio confuso a respeito de tais colocações, sobretudo, porque não era isso que eu esperava ouvir….Por outro lado, poucas horas depois do terremoto, parte de minha Companhia deslocou-se para um dos pontos centrais devastado pelo terromoto. Como as ruas apertadas de Porto Príncipe estavam quase que totalmente obstruídas, fomos obrigados a realizar uma pernada de 3 km a pé carregando equipamentos, a fim de chegarmos ao local determinado para o resgate…Durante o percurso, centenas de pessoas desabrigadas reuniam-se nas calçadas e nas nas margens das ruas para louvar a Deus, alguns cantavam em Creole (Idioma oficial do Haiti), outros em inglês…A cena não sai da minha cabeça!!! Enquanto os ricos e os intelectuais questionam a existência de Deus, os miseráveis, os abandonados pela sorte, os que não têm bens materiais para cultivar, pediam a sua misericórdia…Oxalá! sua expectativa de uma mudança na visão da elite brasileira em relação as nossas Forças Armadas se confirme, devo dizer que sou cético, não pessimista, quanto a isso…Diferentemente de alguns, que em nosso país nos hostilizam, aqui, o povo hatiano nos respeita, sente orgulho de trabalhar ao nosso lado e dizer que é nosso zami! (amigo). Permita-me abster de entrar no mérito específico do caráter religioso de sua reflexão, não disponho de ferramentas cognitivas que me habilitem ampliá-la, mas não posso deixar de testemunhar que Deus tem estado presente o tempo todo e em todos os lugares. De qualquer maneira, o arrebatamento ocorrido aqui tem um propósito que foge à compreensão humana!

Fraterno abraço,

Leonardo.

O clamor do nosso Senhor pelo haiti é:
“Estive nú e não me deste de vestir…”
Para qualquer tipo de doação ou de ajuda humanitária para o Haiti, ligue: (61) 3244-8222
Share

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*
*
Website