Destaques

QUAIS SÃO SEUS PLANOS?

Todos temos um, dois, três… Dez planos!
O plano é o desejo com organograma, planejamento físico-financeiro e “deadline“.

Quando a gente tem a ousadia de pegar um sonho e transformá-lo num desejo, estamos dando um passo importante. Mas quando pegamos este desejo e o transformamos numa meta, isto é um plano.
Ninguém acha que seus planos sejam ruins, […]

VOLUNTÁRIO OU DISCÍPULO?

 
Trabalho voluntário é toda atividade desempenhada no gozo da autonomia daquele que trabalha, sem recebimento de qualquer remuneração. O trabalho voluntário tem se tornado um importante fator de crescimento das Organizações Não Governamentais e graças a esse tipo de trabalho que muitas ações da sociedade organizada têm suprido o fraco investimento (ou a falta de […]

O TEMPO NÃO PÁRA – PARTE 1

Não sei quantos conheceram o Cazuza, um ícone pop dos anos 80 que morreu de AIDS. Como ele era “pop”, não precisávamos esperar nas músicas dele nehuma letra realmente brilhante. Era coisa “pop”, leve, legal, pra divertir e vender. Eu fui um adolescente e jovem que amava a facilidade musical do Cazuza. Com sua doença, […]

“PESSOAS SÉRIAS NÃO HERDARÃO O REINO DE DEUS!”

 
Como a gente tem visto gente séria por aí. Séria não no sentido de responsável, mas no sentido de “carrancuda”, cara-fechada, cara-de-que-comeu-e-não-gostou. Ou como já ouví dizer: Cara-de-fome!
 
Sim, deve ser fome de felicidade! O mais estranho é que para muitas pessoas, as que não riem são consideradas mais responsáveis ou confiáveis que as pessoas que […]

RELIGIÃO E HIPOCRISIA: ATRIBUTOS HUMANOS.

 

Domingo passado – ‘dia do descanso’ – descansei a tarde toda na casa de vizinhos saboreando um delicioso churrasco, entretanto, não tão delicioso quanto a oportunidade de estar na companhia de todos eles. É uma “bênção” poder ver a vida. Ouvir as opiniões. Sentir a alma do ser-humano. Observar o quão animais somos e o […]

Prazer! Muuuito prazer…

Quando se fala em “prazeres” no contexto religioso, imediatamente o senso comum vincula esta palavra ao pecado. Afinal, são anos e anos, catecismos e catecismos, sermões e sermões, por meio dos quais se sedimentou a fixa idéia que prazer é algo carnal, e, portanto, pecaminoso, reprovável e que religião, ou Deus, é algo duro, rígido […]