COISAS DA VIDA…

VIDA LOKA1

 

Por Márcio Marques

“Vida louca, vidaaaa…. Vida breve!”¹

Cazuza, grande poeta brasileiro, musicou maravilhosamente boa parte dos nossos sentimentos, especialmente aqueles ligados diretamente à inquietude, indignação política e social, revolta. Em sua voz ecoa a fórmula que arrebata as nossas vidas: “o tempo não para!” E ele segue insistindo: “não para, não, não, não para!” Deixa claro, portanto, que o nosso maior algoz não para mesmo!

Essa frase pode nos ensinar muita coisa. Pode também nos transformar em vagões desgovernados, guiados unicamente pela necessidade de manter o movimento, visto que o tempo não para!

E pelo fato de não parar, ele engole todas as coisas. Arrasta vidas, emoções, dinheiro, bons momentos, saúde. Leva consigo tudo o que conquistamos e também o que perdemos. O tempo é o repositório de todas as coisas. E nessa marcha que não se pode interromper, penso que devemos embarcar com consciência e atitude.

Consciência para compreender que tudo passa. Tudo mesmo! Tanto aquilo que consideramos muito bom, quanto um sofrimento que pensamos ser interminável, passam.

Atitude, para valorizarmos o que de fato importa.

Pela consciência de que tudo passa, chegamos ao raciocínio que somos todos iguais. Tudo passa e passa para todos! Mas, quanto ao valor que damos às coisas, nisso somos singulares. Cada um escolhe os tesouros que vai conquistar e reter:

“Não ajunteis tesouros na terra, onde a traça e a ferrugem tudo consomem, e onde os ladrões minam e roubam; Mas ajuntai tesouros no céu, onde nem a traça nem a ferrugem consomem, e onde os ladrões não minam nem roubam. Porque onde estiver o vosso tesouro, aí estará também o vosso coração.” Mateus 6:19-21

Cada um tem uma fórmula particular de calcular o valor de seus tesouros. Cada indivíduo tem um espaço próprio para guardar suas conquistas e, por certo, quão mais preciosa, mais protegida estará. Cada homem e mulher organiza suas prateleiras de modo a expor ou esconder seus bens e talentos, na medida em que conhecem a si mesmos e desejam decorar suas vitrines.

Mas, se o tempo não para e a vida é louca, será que realmente temos tempo e inteligência para desfrutarmos os tesouros que acumulamos?

Cada um de nós conhece gente que vive por viver. Vive com o pé direito no acelerador, aumentando ainda mais a velocidade do breve curso da história, chamada vida. Como resultado, vão deixando de ganhar novas experiências e vão perdendo conteúdo pelo caminho. Ficam sem essência.

Realmente acredito que a melhor maneira de não embarcar nessa é ter os olhos voltados para o Alto. É a melhor maneira de não ser empurrado pelas demandas do mundo, a ponto de deixar de perceber a beleza de um Ipê Amarelo, que explode na aridez do Planalto Central. A ponto de repetir as mesmas coisas, sem compreender seus próprios pensamentos. A ponto de se reduzir, como ser humano, a um painel de símbolos, desprovendo-se de personalidade.

Mas, voltando ao aloprado Cazuza, vida louca e tempo que não para formam uma mistura querosenada, apta a gerar ansiedade, frustração, perdas, desperdício de energia.

Como interagir com esse mundo sem entrar em colapso? A grande dica que lanço vem da música de outro compositor brilhante, que talvez você AINDA não conheça, chamado Léo Vox: “deixa Deus entrar na sua vida!” E eu acrescento: deixa ele comandar! Você verá que suas prioridades serão reordenadas. Seu tempo será remido e, o melhor de tudo, haverá paz em seu coração!

As coisas continuarão acontecendo, tanto as boas quanto as ruins. Mas, sua compreensão diante delas será completamente parcial, pois você vai achar que tudo está se organizando a seu favor! Louco isso, não? Mas o barato é esse: usar a loucura (santa) para conseguir se manter sóbrio nessa vida louca!

Coisas da vida…

 Márcio Marques

 

¹ Vida Louca Vida ficou famosa na interpretação de Cazuza, mas a autoria desta música é de Lobão e Bernardo Vilhena, em 1987.

 

_________________________________

VIDA LOUCA VIDA

Lobão e Bernardo Vilhena

 

Vida louca vida, vida breve
Já que eu não posso te levar
Quero que você me leve
Vida louca vida, vida imensa

Ninguém vai nos perdoar
Nosso crime não compensa

Quando ninguém olha quando você passa
Você logo acha eu tô carente, eu sou manchete popular
Tô cansado de tanta babaquice, tanta caretice
Dessa eterna falta do que falar.

Se ninguém olha quando você passa
Você logo acha que a vida voltou ao normal
Aquela vida sem sentido, volta sem perigo
É a mesma vida sempre igual

Se alguém olha quando você passa
Você logo diz: “Palhaço!”
Você acha que não está legal

Perde todos os sentidos…
Corre sempre um perigo
Você passa mal

Vida louca vida, vida breve
Já que eu não posso te levar
Quero que você me leve

Vida louca vida, vida imensa
Ninguém vai nos perdoar
Nosso crime não compensa
Não,não compensa

Se ninguém olha quando você passa
Você logo acha eu tô carente, eu sou manchete popular
Tô cansado de tanta babaquice, tanta caretice

Dessa eterna falta do que falar
Vida louca vida, vida breve
Já que eu não posso te levar
Quero que você me leve

leve,leve,leve,leve,leve,leve…

Link: http://www.vagalume.com.br/cazuza/vida-louca-vida.html#ixzz39SA6ywli

 

Share

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*
*
Website