CRISTO REALMENTE PODE MORAR EM MIM?

dandelion

Há uma grande tentação no ambiente religioso, provavelmente a maior de todas. A tentação de se pensar que mudanças de comportamento são as evidências da nova vida em Cristo. Assim, analisa-se se a pessoa é cristã ou não pelos lugares que frequenta, as roupas que usa, as palavras e os jargões que utiliza, pelo o que ouve e o que bebe.

Contudo, o ser “nova criatura” em Cristo não é a adição de novos hábitos, ações ou atitudes. A maior evidência da vida cristã não é o que se faz, mas com quais motivações se faz ou deixa-se de fazer.

Quão destruidor é a coisa certa sendo feita sem que o Cristo tenha sido formado no interior, no ser, no coração, na mente, nas intenções. Muito mais devastador do que fazer as coisas erradas é fazer o certo com a motivação anti-Cristo, contrária ao Espírito de Cristo. Pois assim, mata-se a esperança, como se estivesse contaminando o remédio com uma doença mais destruidora do que a combatida.

O apóstolo Paulo usa um tom severo e sério com os irmãos da região da Galácia, ao ponto de “sentir dores de parto”, para que Cristo seja formado na vida destes. Interessante notar que os atos que levaram a este posicionamento de Paulo, aos ponto de dizer que Cristo não estava formado neles, não foram atos classificados por nós como pecaminosos e escandalosos (adultério, roubo, mentira, traições), mas ações meramente religiosas, reuniões, agendas, cumprimento de rituais e tradições da Lei. (Gálatas 4)

A parábola contada por Cristo em Lucas 18:11 ilustra muito bem este ponto. É aquela história de um homem que ora a Deus dizendo: “Deus, eu te agradeço porque não sou como os outros homens: ladrões, corruptos, adúlteros… Jejuo duas vezes por semana e dou o dízimo de tudo quanto ganho” enquanto um outro ora apenas dizendo: “Deus, tem misericórdia de mim, que sou pecador”

Sim, quão avassalador e destruidor é uma prática correta com o espírito errado. O problema não estava na oração, nas ofertas, nos jejuns e na vida piedosa, mas no comparar os benefícios de sua própria vida com as mazelas dos outros, fazendo boas coisas, mas com um coração que computa seus acertos e os compara aos erros dos demais. Os que assim fazem, não têm o Cristo como fonte de sua vida:
– Graças lhe dou Deus, pois meus filhos terão a oportunidade de terem uma boa formação enquanto a educação deste país definha.
– Graças lhe dou Deus, pois mesmo que o mundo inteiro esteja em crise a minha empresa foi guardada por Deus;
– Graças lhe dou Deus, pois não sou como os demais. Graças lhe dou pois o Senhor poupou a minha vida e a vida de minha família.
– Graças lhe dou pois muitos dos meus colegas de infância se envolveram nas drogas e na criminalidade, mas eu fui salvo e me dediquei ao seu Reino. Graças te dou oh Pai!

Que Cristo seja formado em nosso interior, transformando a fonte de nossas ações. Para que, deparando-nos com a mazela do mundo, brote do nosso interior o mesmo clamor de Cristo (“ao ver as multidões, teve compaixão delas, porque estavam aflitas e desamparadas”), para que tendo o mesmo sentimento que houve em Cristo, importemo-nos não apenas com o que se refere a nós, mas consideremos os outros superiores.

Assim, diante desta grande tentação, oro e clamo para que Cristo seja formado em NÓS.

Marlon Camacho
abril/2014

“Meus filhos, novamente estou sofrendo dores de parto por sua causa, até que Cristo seja formado em vocês.
Eu gostaria de estar com vocês agora e mudar o meu tom de voz, pois estou perplexo quanto a vocês.”

Gálatas 4:19-20

Share

Um comentário em “CRISTO REALMENTE PODE MORAR EM MIM?

  1. Boa Noite!! Paz e Graça. SAUDADES…

    A luta realmente é diária,árdua e contínua,no que diz respeito a Carne x Espirito. Mas eu costumo dizer a mim e ao outros: Faço o que é preciso ser feito;mesmo que não queira,muitas vezes. Exemplo disso;descansar depois de um dia de trabalho,sendo este dia de culto.
    Continue Luciano Maia!!! essa caminhada com o senhor,e nos presenteando com sua forma inteligente e atual ao falar da palavra do senhor.

    Abraços.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*
*
Website