DEUS É BOM… ELE É MUITO, MUITO BOM…

Se existe gente que se zanga porque Deus é bom, então, existe gente para reclamar de tudo o mais.

Jesus contou a seguinte parábola:

Numa cidade havia muitos desempregados. Porém, certo empresário contratou um grupo e combinou uma diária começando às 6 da manhã. ÀS 9 horas ele saiu e contratou outros. Fez o mesmo às 13, às 15 e às 17 horas. Porém, o que ele dizia agora era: “Vão trabalhar, e darei o que for justo!” Às 18 horas o empresário mandou que seu gerente pagasse os diaristas, começando dos últimos até aos primeiros. Vieram os das 18 horas e receberam uma diária cheia. E, assim, até aos que haviam chegado às seis da manha, todos receberam a mesma coisa. Então, os que haviam chegado antes de todos, e feito muito esforço, zangaram-se contra o empresário, e disseram: “Você está sendo injusto. Está dando a quem trabalhou apenas 1 hora o mesmo que você dá a nós, que sofremos o dia todo.” Assim, respondeu-lhes o empresário: “Amigo, não cometi injustiça contra você. Mas por que os olhos de vocês são maus por que eu sou bom? Acaso não posso fazer o que quero do que é meu? Toma o que dei a você e vai, pois, farei com o que é meu o que eu quiser!”

Jesus contou esta história porque tinha gente zangada em razão da bondade de Deus!

Quase sempre a Graça faz mal a quem é invejoso!

Sim! Porque a pessoa pensa:

“Por que no meu tempo eu ralei tanto e esta nova geração tem tudo tão fácil?”

”Tenho orado tanto e a tantos anos a Deus e Ele acabou por atender ao pedido deste aqui, que nem ora direito e nem é tão bom quanto eu…”

”Poxa, esta pessoa tem a vida tão tranquila. Mas eu… Deus nem olha para meu sofrimento.”

”Já sofri tanto na vida. Será que Deus não poderia fascilitar mais as coisas para mim, assim como ele facilita para fulano, aquele safado?”

Não fique mal porque Deus é bom!

3 comentários em “DEUS É BOM… ELE É MUITO, MUITO BOM…

  1. Os humanos tentam criar estórias, imagens, posições que consagre o desconhecido.
    Observe:
    Em qualquer filme de ficção cientifica os aliens sempre tem formas humanoides. Assim, por não sabermos, ou mesmo, nunca termos visto qualquer alienígena, criamos figuras bípedes, com olhos e cabeça as vezes bem próximo disso, para falarmos de vida extraterrestre. Por vezes, quando não assim o fazemos, construímos formas já conhecidas, haja vista que, estamos limitados ao que os olhos vêem. 
    Note na bíblia que toda aparição construída de Deus ou seus anjos assim o são.
    As estórias sempre são criadas com relatos vividos por homens, ou quase sempre em contos de fada, miragens, fantasias, feitiço, magia, projeções astrais ou seja, mais do mesmo, no imaginário humano nas lendas e abstrações do homem em cada canto do mundo, a cada tempo.
    Entretanto, para construirmos razões de justiça Jesus cria uma lógica que nao abraça os conceitos humanos de justiça. Essa parábola antes de qualquer coisa, goza de tremenda injustiça e alimenta o privilegio. Puts! Como rejeito essa pratica. 
    O Cristo nesse insinamento, traz a lógica dos ceus que nao se aplica o conceito de justiça há muito experimentado por nós humanos.
    Há pecado insurgisse contra isso?
    A estada aqui nesse mundo é curta. E a verdade não nos é alcançada. Somos limitados, e as doutrinas religiosas nos apresentam uma lógica mais perversa… Essa parábola, é pequena, injusta, desleal. Típicas de pais e mães clinicamente psiquiátricas que agindo assim adoecem seus filhos por serem bons pra uns e reducionistas pra outro. Traz nesse bojo o sentimento maior, a inveja. Quando se privilegia uns em detrimento de outros em razão de conceitos celestiais que não entendemos… o mal torna-se maior. Esse privilegio vem alimentado ao povo de Israel a raiva, o odio do mundo. E assim Israel tomou a Canaa, tomou  hoje a palestina, faixa de Faza, Cisjordânia. Deus amou mais Abel e esse matou Caim. A inveja é sempre provocada por aquele que nutre nas pessoas sua superioridade. Não é algo de uma só via. De outra sorte, Izaque  a  Ismael. Jaco a Esau, e tantas outras.
    Privilegio! Justifica a escravidão da Europa branca, rica e cristã em 4 séc de morte, fome, desprogresso do homem africano ate hoje fadado a mortalidade infantil, aids, molestas 
    medievais que se estenderão por mais séculos. Muito pequeno acreditar nisso. 
    Aos que são pai, cuidado com os ensinamentos cristão, ao usar dessa inteligência/parábola minimalista. É prudente tratar-se; uma boa analise/divã  talvez melhore comportamentos insano de justiça débil/divina.
    Como disse no começo não temos inteligência para enxergarmos o mundo dos céus e assim criamos verdades e figuras daquilo que não conhecemos. Mas quando trazemos o atraso dos céus para explicar uma bondade as avessas prefiro que o céu não me alcance.

    • Wesley,
      você pode analisar esta parábola de duas óticas: da ótica do “sortudo”, que recebeu um salário maior que ele aguardava, ou da ótica do “justificado”, que recebeu o salário combinado com o patrão.

      O sortudo causa mesmo inveja. Existindo ou não um Deus, existindo ou não Jesus, quem tem sorte é invejado. O cara que passa num concurso ou vestibular muito foda deixando muitos para trás… A mulher que tem um excelente homem como marido… Os sortudos são sempre invejados por alguns. E a inveja do outro existe não porque Deus exista, a inveja existe porque, com ou sem deus na parada, os invejosos invejarão os sortudos e lamentarão ou seu ódio ou seu sentimento de inferior injustiçado pelo acaso, ou injustiçado por Deus (caso este invejoso acredite na existência de algum tipo de Deus). Portanto, com ou sem Deus, invejoso sempre o será.

      O “justificado”, que é o outro personagem, recebeu o salário justo, combinado, contratado… mas não quer que outra seja sortudo, ele quer que ELE seja o sortudo. sendo ele o sortudo, tudo bem, sendo outro, tudo errado. Para os religiosos seria mais ou menso assim: “Sendo EU o abençoado, tudo bem, sendo outro o abençoado, Deus é mal. Mesmo que a pessoa receba o justo, o combinado, o que está dentro de suas possibilidades e capacidade, esta pessoa fica muito brava que outro ganhe na loto…

      A inveja não escolhe religião, não escolhe a existência de Deus.

      Mas Jesus sim, ele falava com os religiosos, que não aceitam o acaso, mas se acham superiores, mesmo não o sendo.

      A mensagem do Novo Testamento é que Deus não tem filhos prediletos. Esta é a mensagem de Jesus.
      A mensagem do Antigo Testamento, ao contrário, diz que há os “eleitos”. Jesus pregou contra a antiga lei mosaica e estabeleceu novas normas, baseadas não mais em meritocracia. Eu não vivo no Antigo testamento. Portanto não discutirei ou argumentarei o que você falou citando as estórias dos Judeus do AT. Sou seguidor da mensagem de Cristo, não da mensagem de Moisés. isto vc deve discutir com algum Judeu.

      Enfim, sigo minha vida aguardando não mais que os “direitos contratuais” me asseguram: morte.
      Contudo, se meu “patrão” quiser me dar coisas além disto (como uma vida saudável, por exemplo), não rejeitarei.

      Paz!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*
*
Website