EGOCENTRISMO E EGOÍSMO.

Estudos da psicologia apontam que o bebê não tem consciência do outro. Para o bebê apenas ele mesmo existe e, portanto ele é essencialmente egocêntrico. Os adultos complementam este papel egocentrista dos bebês no sentido que tudo o que ele deseja, recebe naquele instante. Se um bebê chora, todos a sua volta se movimentam para satisfazê-lo, seja dando de mamar ou trocando as fraldas.

Existe uma tendência humana natural ao egocentrismo. Os bebês crescem e passam a ter consciência do outro, percebendo que existe uma correlação social. Crescem ainda mais e percebem que não são o centro do universo e logo descobrem que existem vontades alheias que são maiores que as deles.

O egocentrismo é o excesso de preocupação consigo mesmo em detrimento de outros, baseado numa ilusão de ser o centro das atenções.

Entretanto, não é difícil perceber que existem muitos adultos que ainda são como os bebês neste quesito; crescem, mas continuam (em certo ponto) crendo que são o centro do universo, ou seja, que as coisas devem girar em torno deles e de suas vontades. Manipulam pessoas, situações, instituições, cônjuges, filhos e num delírio psíquico, manipulam até si mesmos. Tudo objetivando atender às suas próprias necessidades, desejos, caprichos, inseguranças, sonhos…

Ou seja, o egocentrismo pode nos levar ao egoísmo, que é o sentimento ou maneira de ser dos indivíduos que só se preocupam com o interesse próprio, com o que lhes diz respeito. Egoísmo é um pecado e como tal, faz mais mal a si mesmo. Egoísmo não é amar o outro como a si mesmo…

Muitos adultos desenvolvem forte sentimento egoísta como conseqüência do egocentrismo, o que os faz parecerem com os bebês. Tais pessoas até pensam que são mais espertas que as outras e creem que tirar proveito ou vantagem de pessoas e situações seja sinônimo de inteligência, mas na verdade, reflete imaturidade emocional e psíquica. Um bebê, centro do universo, sem consciência social. Alguém que precisa crescer.

Jesus, num dos seus encontros, conversa com um jovem rico, ou seja, alguém que, por ser materialmente abastado, já tem de tudo o que o mundo pode oferecer; mas este jovem estava insatisfeito com a vida e queria mais. Portanto, pergunta a Jesus: O que posso fazer para obter a vida eterna?

A vida terrena abastada e confortável era pouco para ele… Queria mais, queria a eternidade também!

Jesus respondeu que era simples, bastava que ele vendesse tudo o que possuía e desse a grana aos pobres; assim, estaria garantido seu passe celestial. O jovem entristeceu-se e se retirou.

Dar tudo o que tenho? Perder meu conforto? Perder meu prestígio com mulheres e com “amigos”? Perder meu status quo? Não! Não quero perder, quero ganhar mais ainda, mais do que já tenho. Quero cargos, títulos, funções, remunerações, ações, debêntures, lucros e dividendos… E também uma casa bem legal no céu.

Jesus não disse que os ricos não entrariam no céu, mas disse que seria difícil. Porque difícil? Porque o egoísmo presente em muitos (não em todos) os abastados os impedem de enxergar Cristo e perceber seu discurso.(Lembrando que riqueza é uma questão de referência. Simplesmente por estar lendo este artigo em sua internet privada, isto já o torna muito mais rico que 60% da humanidade. Sim, somos ricos! )

Seguidor de Cristo doa, dá, abre mão, pensa primeiro no outro, importa-se com a necessidade alheia, até mesmo em detrimento do seu conforto… E não considera propriamente seu tudo o que tem, mas posiciona-se como um mordomo das coisas de Deus.

Ser um seguidor de Jesus de Nazaré, o Cristo, significa não ser egoísta, mas significa largar as coisas próprias dos bebês e entrar numa vida espiritualmente madura, entendendo que melhor é dar do que receber.

Você está pronto para continuar crescendo como pessoa? Até que ponto nós não encarnamos o jovem rico?

Luciano Maia, Primavera de 2011.

 

O filme abaixo é um curta-metragem produzido por dois irmãos alemães em 1989. No ano seguinte ganhou o Oscar de Melhor Animação em Curta-metragem. Conta de uma maneira inusitada a importância de mantermos equilíbrio com as pessoas que nos rodeiam, pois somos interpedendentes. No final mostra que egocentrismo é uma arma apontada para a própria cabeça.

Share

4 comentários em “EGOCENTRISMO E EGOÍSMO.

  1. Interessante,costumo ensinar isto para os meus filhos.
    Nada existe ao acaso, os vizinhos tem uma importância muito grande na nossa vida.Precisamos de todos para ter uma vida feliz.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*
*
Website