O Bordado.

 

Contribuição de Monize Marques

 

O Prof. Damásio de Jesus é um dos maiores tratadistas de Direito Penal Brasileiro, com incontáveis publicações na área Penal e Processual. Também possui um dos maiores complexos de estudos no ramo jurídico. Alguns atribuem a ele texto a seguir. Contudo, este texto está publicado sob o título ‘O Bordado’ na página 43 do livro ‘Com o Coração Aberto’, de autoria de Marilina Baccarat de Almeida Leão:

“- Quando eu era pequeno, minha mãe costurava muito. Eu me sentava no chão, brincando perto dela, e sempre lhe perguntava o que estava fazendo. Respondia que estava bordando.
Todo dia era a mesma pergunta e a mesma resposta. Observava seu trabalho de uma posição abaixo de onde ela se encontrava sentada e repetia:
– Mãe, o que a senhora está fazendo?
Dizia-lhe que, de onde eu olhava, o que ela fazia me parecia muito estranho e confuso. Era um amontoado de nós, e fios de cores diferentes, compridos, curtos, uns grossos e outros finos.
Eu não entendia nada. Ela sorria, olhava para baixo e gentilmente me explicava:
– Filho, saia um pouco para brincar e quando terminar meu trabalho eu chamo você e o coloco sentado em meu colo. Deixarei que veja o trabalho da minha posição.
Mas eu continuava a me perguntar lá de baixo:
– Por que ela usava alguns fios de cores escuras e outros claros? Por que me pareciam tão desordenados e embaraçados? Por que estavam cheios de pontas e nós? Por que não tinham ainda uma forma definida? Por que demorava tanto para fazer aquilo?

Um dia, quando eu estava brincando no quintal, ela me chamou:
– Filho, venha aqui e sente em meu colo.
Eu sentei no colo dela e me surpreendi ao ver o bordado. Não podia crer! Lá de baixo parecia tão confuso! E de cima vi uma paisagem maravilhosa!
Então minha mãe me disse:
– Filho, de baixo parecia confuso e desordenado porque você não via que na parte de cima havia um belo desenho. Mas, agora, olhando o bordado da minha posição, você sabe o que eu estava fazendo.

Muitas vezes, ao longo dos anos, tenho olhado para o céu e dito:
– Pai, o que estás fazendo?
Ele parece responder:
– Estou bordando a sua vida, filho.
E eu continuo perguntando:
– Mas está tudo tão confuso… Pai, tudo em desordem. Há muitos nós, fatos ruins que não terminam e coisas boas que passam rápido.
O Pai parece me dizer: ‘Meu filho, ocupe-se com seu trabalho, descontraia- se, confie em Mim e… Eu farei o meu trabalho. Um dia, colocarei você em meu colo e então vai ver o plano da sua vida da minha posição.

Muitas vezes não entendemos o que está acontecendo em nossas vidas. As coisas são confusas, não se encaixam e parece que nada dá certo.
É que estamos vendo o avesso da vida!

Do outro lado, Deus está bordando…”

 

No último ‘Café com Deus ao Vivo’, meu irmão Leandro fez uma excelente contribuição e me lembrou que este texto foi lido na minha colação de grau da faculdade, em 2003. Naquela época, a vida profissional dos formandos era realmente uma incógnita, apesar de muitas aspirações povoarem nossos pensamentos. Alguns colegas já haviam entendido sua vocação, mas a maioria continuava sem rumo… Visando apenas cifras!

Eu estava feliz onde trabalhava, mas sabia que muitos ‘nós’ seriam atados e linhas seriam cortadas até que chegasse onde Deus queria. Então, no auge da minha imaturidade espiritual, perguntava-me: será que Deus está em condições de abençoar os meus planos profissionais? Será que tudo continuará certinho, como sempre foi?

É claro que não! A resposta demorou a chegar, mas veio de uma forma eloquente! Depois de anos de estudo, muitas disciplinas, muito tempo dedicado e uma severa pitada de solidão, eu não passei em um concurso naquilo que ‘achava’ que mais sabia fazer…

Foi, sem dúvida, um grande nó! Nó no bordado, nó na garganta, nó nos pensamentos, nó na vida! Tantos questionamentos… Será que é isso que Deus quer? Ou será que é isto o que Deus realmente não quer pra mim?

Todos nós temos nossos momentos de questionar a desordem da nossa vida… Questionar os nossos objetivos que não foram alcançados, apesar de todo o esforço. Mas o sábio Rei Salomão já havia nos alertado: “As pessoas podem fazer seus planos, porém é o Senhor Deus quem dá a última palavra.” (Provérbios 16, 1). Nada está fora do poder da oração, exceto o que está fora da vontade de Deus.

Sei que muitos de nós, mesmo cristãos, ainda invertemos a ordem do diálogo com Deus: ‘eu quero e o Senhor, por favor, me abençoe!” ou “eu sou inteligente, escolhi este caminho e tenho certeza de que é o melhor!”

Todavia, Salomão também já havia falado:

“Confie no Senhor de todo o coração e não se apoie na sua própria inteligência. Lembre de Deus em tudo o que fizer, e Ele lhe mostrará o caminho certo. Não fique pensando que você é sábio; tema o Senhor e não faça nada que seja errado.” E mais: “Feliz é a pessoa que acha a sabedoria e que consegue compreender as coisas, pois isso é melhor do que a prata e tem mais valor do que o ouro. (…) A sabedoria oferece uma vida longa e também riquezas e honras. Ela torna a vida agradável e guia a pessoa com segurança em tudo o que faz. Os que se tornam sábios são felizes, e a sabedoria lhes dará vida.” (Provérbios 3, 5-7 e 13-18).

Precisamos nos focar na sabedoria que vem do alto. Só assim podemos compreender que Deus não quer só nos abençoar… Ele quer nos SALVAR! Muito mais do que nos encher de bênçãos, Deus nos quer como instrumentos, que, às vezes, precisam ser lapidados.

Demorei a enxergar deste ângulo. Pelo menos neste ponto, parei de questionar o desenho da minha vida. O tempo passou e, graças a Deus, pude compreender a vitória que Deus entregou em minhas mãos.

Jesus Cristo disse que nós somos a luz do mundo e que devemos refletir a luz de Deus para os que nos cercam. Ele disse:

“Ninguém acende uma lamparina para colocá-la debaixo de um cesto. Pelo contrário, ela é colocada no lugar alto para que ilumine todos os que estão na casa.” (Mateus 4, 15).

Precisamos confiar em Deus, aceitando alguns pontos ou nós no bordado da nossa vida, mas sem perder a compreensão de que sempre estamos no lugar certo, para que possamos brilhar a luz de Deus aos que nos rodeiam.

Não importa onde estamos, nem como estamos, somos sempre testemunhos do amor de Deus! É tão bom saber que o Deus cuida de nós. É tão bom saber que o desenho da nossa vida faz sentido para Deus, ainda que seja disforme aos nossos olhos! O importante é vivermos em paz, com alegria, entregar a Deus os nossos planos e esperar o momento certo para comemorar… Porque, sem dúvida, Deus é em excelente paisagista de vidas!

 

———————————————————–

 

Para curtir a vida (com ou sem Coca-Cola!) enquanto Deus faz seus bordados

 

 

Share

6 comentários em “O Bordado.

  1. Um ótima reflexão, com certeza irá tocar o coração de muitos, assim como tocou o meu!

    Parabéns, gostei muito deste site, muito diferente de muitos aí, que são um bando de tapados e ignorantes.

    • Graças a Deus, Bruno! Que Deus continue tocando em nossos corações…
      Seja sempre bem-vindo em nosso blog!

    • Essa música é realmente muito bonita, Wilter.
      O nosso coração se transforma quando compreendemos que somos ‘vaso nas mãos do oleiro’…
      Obrigada pela contribuição!

  2. Excelente!

    Este Café com Deus dá sustância para o dia todo. E por que não dizer para a vida toda? Imagine se fosse Almoço com Deus?!

    Parabéns! Adoro a falta de religiosidade deste blog.

    Sou fã. Sou cristã.

    Fiquem na Paz!

  3. Esse texto é de minha autoria, está no livro “Com o Coração Aberto”
    Autora: Marilina Baccarat ( escritora brasileira)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*
*
Website