Perfume de Mulher

De repente entra na sala uma mulher de reputação pra lá de duvidosa e caminha segura na direção de Jesus. Sem a menor cerimônia, ajoelha-se atrás dele e lava-lhe os pés com lágrimas. Usa os cabelos como toalha, e derrama sobre os pés secos o perfume que enche a casa de cheiro de cabaré. Jesus não se faz de rogado: entrega os pés aos beijos da mulher.

Os estreitos de plantão não perdem tempo. Criticam o desperdício de perfume, sugerindo que poderia ser transformado em pão para os pobres, e fazem questão de anunciar em alto e bom som que se trata de uma mulher de péssima reputação, pecadora, disseram. Por trás das palavras a respeito da mulher está uma implícita condenação a Jesus: se fosse profeta saberia que a mulher não presta; se fosse sério não se deixaria tocar daquele jeito; se fosse dos nossos condenaria a mulher de vida fácil.

Mas Jesus é diferente. Não é dos nossos. Jesus aceita o perfume das prostitutas. Já consigo ouvir a observação dos estreitos de hoje: é verdade, mas a mulher abandonou aquela vida… Sei não. Tudo quanto Jesus lhe diz é “seus pecados estão perdoados”, pois a demonstração de amor estava proporcional ao alívio da culpa: a quem muito é perdoado, muito ama. E Jesus se despede da mulher: “Sua fé a salvou, vá em paz”.

Via de regra os beatos não aceitam o perfume das pecadoras. E quando aceitam querem se certificar de que já mudaram de vida ou pretendem mudar. Essa é a face mais sombria do cristianismo institucionalizado: impor sua moral, enclausurar o amor de Deus e a graça do Cristo. Será o caso de “deixarmos” que a graça faça seu caminho dentro das pessoas, e as pessoas façam seu caminho por dentro da graça? Será que conseguimos acreditar que Deus trata com os pecadores, e o faz aceitando seu perfume? Ou preferimos controlar os pecadores, exigindo que se enquadrem em nossas estreitas molduras morais, em vez de lhes dar espaço para a transformação de dentro para fora?

Onde foi que esconderam o Deus que aceita o perfume das meretrizes?

Por www.edrenekivitz.com

————————–

Este comercial não fala exatamente de perfume, mas de desodorante (que é outra forma de manter-se perfumado/a). Uma superprodução que desnuda o estímulo de muitos/as ao se perfumarem.

Share

4 comentários em “Perfume de Mulher

    • Olá Ricardo,

      Olá Ricardo,

      No texto “Perfume de Mulher”, o autor defende a tese que Jesus era incapaz de ser preconceituoso com uma prostituta, assim como a religião muitas vezes é; mas, ao contrário, afirma que Jesus, se é capaz de aceitar e perdoar uma prostituta, também será capaz de aceitar você e até eu!

      No texto do celebrado Saramago, o autor defende outra tese. Ele usa de licença poética para dizer que Jesus não apenas aceitou a prostituta como pessoa, como também foi amante dela.

      Caso eu tenha que escolher uma, pessoalmente fico com a primeira tese, já que a segunda não tem embasamento nos textos originais, sendo apenas uma abstração de Saramago. Digamos que ele continuou a estória usando sua criatividade e ousadia.

      Curioso que tem um outro texto de Saramago no qual ele demonstra enorme dificuldade de abstrair ao tema e até peca por se agarrar excessivamente ao texto puro. Você pode conferir o texto aqui:
      http://www.cafecomdeus.com.br/eu-te-odeio/

      Um abraço e obrigado pela contribuição!

      Maia

  1. Ola Luciano,

    Ou voce nao quis compreender o sentido do que Saramago escreveu, ou eu que nao entendi o post que indicou. La diz que para se amar vale tudo ate ser ironico inclusive com teorias nao “comprovadas” empiricamente. Como se todo o resto estivesse fartamente comprovado.
    Mas deixe para la como diria (Mateus 7:1-5).
    Dei a sugestao porque nao deixa de ser uma historia de amor. O mesmo amor de que voce fala no post.

    Abraco

    • Ricardo, obrigado pela contribuição que é bem vinda.
      Prefiro uma terceira alternativa: talvez eu tenha querido mas não tenha conseguido compreender o sentido do que Saramago escreveu.
      Abraço e continuemaos a “pensar e deixar pensar”.
      Maia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*
*
Website