O SISTEMA QUE REGE O MUNDO

Existe uma palavra grega que foi muita usada por Jesus Cristo em seus discursos, posteriormente por seus seguidores do primeiro século e atualmente está na boca de onze entre cada dez pregadores evangélicos: kosmós.

Cosmos ou kosmós deriva do termo grego κόσμος, que literalmente significa “sistema” ou “ordem” e metaforicamente: “mundo” (no século XIX a palavra passou a ser usada como sinônimo para universo).

Quando Jesus fala do mundo, ele não se refere ao planeta, mas está falando do “sistema que rege o mundo”, ou seja, no original grego da bíblia Jesus usa a palavra kosmós, que foi traduzida como “mundo” em nossas bíblias.

No capítulo 17 do Evangelho de João está registrada uma longa oração feita por Jesus, conhecida como Oração Sacerdotal. Nela Jesus diz, refendendo-se aos seguidores dele: “Eles não são do mundo, assim como eu não sou do mundo”. Ou seja, eu não pertenço e não estou de acordo com o sistema de valores que rege este mundo. A lógica dos negócios deste mundo não é a minha lógica. O jeito de se relacionar deste mundo, não é o jeito que eu me relaciono.

Jesus, portanto, identifica duas lógicas existenciais:

  1. A primeira é a lógica do “sistema”, o sistema que rege o mundo, que está presente em todas as relações pessoais ou institucionais do “mundo”. Um sistema mundano.
  2. A segunda lógica existencial compete com a anterior, ela é conflitiva e paradoxal se comparada com a regra do mundo. Trata-se da lógica do Evangelho. A lógica do Evangelho diz coisas contrárias à lógica do sistema que rege o mundo.
  • No mundo, quem manda está acima de quem obedece, mas na lógica do Evangelho “quem é maior é quem serve”.
  • No mundo eu procuro a Justiça para que meu ofensor seja punido, mas na lógica do Evangelho paga-se o mal recebido com o bem, e não o mal com o mal.
  • Na lógica do Evangelho, que é ilógica (loucura) para o “mundo”, quem quer ser o maior, que seja o menor, o melhor passa a ser dar do que receber. Uma lógica ilógica para o sistema que rege o mundo.
  • A mais valia pertence ao “sistema”. Ditaduras sanguinárias (tanto as antigas ditaduras de direita, como as atuais ditaduras de esquerda) são aliadas do “sistema” que fingem combater.
  • Fazer justiça com as próprias mãos, é “coisa do sistema”.
  • Na lógica mundana busca-se as recompensas merecidas, mas na ilógica do Evangelho, perdoa-se gratuitamente, sem contrapartidas lógicas.

O sistema que rege este mundo está presente em tudo, porque está inserido dentro do ser humano… Onde tem ser humano, tem mundo. É um sistema bem ordenado, mas que não propicia a justiça social e a paz (nem entre as pessoas, muito o menos entre os povos).

Para que o sistema lógico que rege o mundo seja convertido na ilógica do Evangelho, é necessário que haja transformação dentro do ser humano. O caminho está na metanóia (mudança essencial de pensamento e de caráter). Um governo justo passa antes, necessariamente por pessoas justas. Instituições são feitas por pessoas. É a transformação das pessoas que promoverá a transformação da sociedade. O trabalho é de formiguinha. Justiça social real não acontece mudando-se governos, mas convertendo-se governantes para a ilógica do Evangelho, onde menos é mais.

Ontem eu e minha esposa apanhamos um táxi para uma jornada mínima: nosso próximo destino distava apenas 750 metros à pé de onde estávamos (ou mil e poucos metros de carro). Como se tratava da região na qual ela trabalha e conhece bem, deixei que ela conduzisse a corrida e permaneci checando e-mail no celular. Para ela, que estava de salto alto, seria uma caminhada incômoda em calçadas desniveladas . Porém seria uma corrida ridícula para um taxista. Já no ponto dos táxis que estava em nossa frente ela abordou o primeiro da fila e contou o impasse: “minha viagem é mínima… Você deve estar esperando muito tempo… Você aceita pegar uma viagem tão curta?”. O simpático taxista prontamente disse que sim e tomou rumo. Contudo, ele pega um caminho errado, longo demais, seguiu direção contrária, teve que dar voltas. Naquele instante minha mente foi contaminada pela lógica deste mundo e pensei: “Estará ele buscando auferir vantagem financeira ao pegar um caminho longo?”. Estaria ele nada mais que seguindo a lógica deste mundo assim como eu silenciosamente fazia? Minha esposa, que estava no comando da corrida, alterou seu tom de voz, demonstrando aborrecimento pelo engano do taxista. Ela buscou auxiliá-lo, dando opções de rotas, até que, por fim, chegamos ao destino por um caminho mais longo.

“Quanto foi a corrida?”, indagou ela. Ao que o simpático motorista disse: “Nada. Peguei caminho errado. Não posso cobrar nada por conta do meu erro. Se eu aceitar algum pagamento, me sentirei mal o dia inteiro”. Mesmo sob insistência dela, ele recusa qualquer pagamento e retorna para o fim da fila do seu ponto de táxi.

Sim, não é lógico! Quando nos deparamos com comportamentos que desafiam o sistema que rege o mundo, aquilo que nós consideramos justo, temos uma dissonância cognitiva, temos dificuldade de entender, de aceitar. Podemos até pregar o Evangelho, mas nem sempre estamos preparados para sua práxis, ou mesmo entender sua lógica. Na verdade, somos mesmo é mundanos (ou seja, temos mais afeição à lógica deste mundo que à lógica do Evangelho).

Ações de amor gratuito, de honestidade explícita ou de compaixão irrestrita nos desafiam e nos inquietam.

 

“De fato, a mensagem de Cristo é loucura para os que estão se perdendo; mas para nós, que estamos sendo salvos, é o poder de Deus”. (I Cor, 1:18)

 

Share

Um comentário em “O SISTEMA QUE REGE O MUNDO

  1. Lindo sem palavras. para a mim a morte de Jesus na Cruz sempre foi e será o maior sacrifício feito por Deus para mim.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*
*
Website