Perdendo o controle

Por Geziel Madeira

Perder o controle. Isto não parece ser uma boa ideia, afinal, todos nós gostaríamos de ter o controle sobre as situações da nossa vida, sobre tudo e até mesmo sobre todos. Existem situações em que realmente não podemos perder o controle, como por exemplo quando estamos dirigindo, andando de bicicleta, atravessando a rua, subindo uma montanha, ou realizando alguma tarefa que o domínio sobre ela nos representa segurança. Mas nem sempre é assim que as coisas funcionam.

 

Quando eu era um pouco mais jovem, obviamente que queria controlar “totalmente” a minha vida. A minha segurança era achar que eu tinha o controle, que eu é que dirigia a minha vida. E além do mais, queria ter um pouco de dinheiro no bolso, caso as coisas “saíssem do controle”, que ilusão! Eu gostava de tomar as minhas decisões por conta própria. Eu decidia o meu presente e o meu futuro. A vida tinha que ser domada com rédias curtas. E caso as coisas saíssem do controle, lá estava o dinheiro na conta pra resolver todos os meus problemas. Isso realmente era uma grande ilusão.

 

Mas, aos 20 e poucos anos, eu queria caminhar com Deus e ainda continuar sendo “o grande controlador da minha vida”. Eu sabia que eu deveria entregar a Deus a minha vida, confiar nEle e crêr que o necessário Ele faria, conforme dizia o salmista (Sl 37:5). Eu realmente queria que Ele fosse o grande controlador da minha existência, mas no fundo,  era eu quem era (na medida do possível, é claro).  Eu dizia: “Quero fazer a Tua vontade, e não a minha.”, “A minha vida é Tua, Deus!” Só que lá no fundo, eu não queria perder o controle, eu tinha medo do que poderia acontecer. E ainda confiava que aquelas migalhas na minha conta-corrente iriam resolver qualquer problema.

 

O fato é que não adianta dizer pra Deus que Ele está no controle se na prática eu quero que as coisas sejam sempre conforme eu desejo. Não adianta dizer que é Ele quem comanda se eu faço somente o que eu quero, e do meu jeito. Não adianta dizer que confio nEle como provedor de toda a vida, se preocupo-me demais com o que tenho no bolso e com o dia de amanhã.

 

Foi então que um dia, através de um sonho, Deus deixou claro pra mim que eu iria perder o suposto controle que eu achava que tinha. E algum tempo depois foi que algumas crises chegaram. Comecei a passar por problemas complicados em áreas da minha vida. As coisas ficaram difíceis  no trabalho, nas finanças, na igreja e até na saúde. Eram os meus alicerces que estavam sendo abalados. Aquilo em que eu confiava, foi chacoalhado. As finanças, foram por água abaixo e eu não conseguia mais sustentar a casa, e o pouco que tinha guardado rapidamente evaporou. No meu trabalho, que eu achava que era de lá que provia o sustento, já não provia o suficiente. Eu esperava que uma promoção iria resolver a situação, que se eu trabalha-se bem logo seria promovido, mas todas as portas se fechavam e as mudanças que tentei não pareciam ajudar. E o stress chegou com força, atrapalhando demais a minha saúde emocional e até a física. Até mesmo na igreja, por muito tempo o meu refúgio particular, os problemas estavam se tornando tão grandes para mim e para minha esposa, que não pudemos continuar lá.

 

Assim, uma a uma, as coisas nas quais eu colocava a minha confiança e algumas das quais eu achava que controlava, que eram tudo do meu jeito, foram sendo abaladas, até o ponto que eu já não sabia mais o que fazer, e percebi que tudo estava fora dos eixos. Mas eu ainda lutava para tentar tomar as rédeas da vida. Mas não adiantava. O meu grande medo, o de perder o controle da situação, tinha se tornado real.

 

Até que um dia, eu cheguei no meu limite físico e emocional. E neste dia eu desisti. Percebi que não adiantava lutar como vinha lutando. Lembro-me que cheguei em casa, depois de mais um dia muito difícil no trabalho, e fui direto para um quarto, onde lá me tranquei, e fui orar e chorar. E de joelhos, finalmente eu falei pra Deus que desistia, que eu entregava tudo nas mãos dEle, que eu não sabia mais o que fazer, e não queria mais tentar acertar o caminho, pois eu não aguentava mais, e que Ele fizesse da minha vida o que Ele quisesse. Acho que pela primeira vez na minha vida eu realmente estava entregando o controle pra Deus, e declarando de coração que eu não era capaz de caminhar sozinho, de me auto-guiar. E então eu estava largando mão de fazer as coisas do meu jeito. Foi preciso eu chegar no meu limite. Foi preciso sofrer um pouco. Mas finalmente, eu estava desistindo de ser o meu senhor, e passei a deixar Deus ser o meu Senhor.

 

A confiança que eu tinha no meu trabalho como forma de sustento, eu perdi. Não achava mais que era pela minha força que eu era sustentado. Não confiei mais que ter dinheiro guardado, resolveria algum problema caso “Deus não me sustentasse”… Confiar cegamente em mim mesmo, nas minhas decisões, e achar que eu conseguiria alcançar as vitórias pela minha força, tudo isso passou. E quando eu finalmente desisti de controlar a minha vida, Deus rapidamente começou a mudar a minha história, e também da minha esposa. E durante todo este processo, que entendo que continua até hoje, Deus me ensinou a confiar nEle, e somente nEle. Nos momentos que foram mais difíceis, Ele nos socorreu. Em nenhum momento passamos por uma carga maior do que podemos suportar. E as crises foram uma grande lição, mostraram-me que se eu estiver no controle, eu perco a direção. Se eu confiar em mim mesmo, posso me dar mal. Mas, se Deus está no controle da minha vida, então não preciso me preocupar, basta confiar nEle! E é preciso realmente confiar nEle, e ter a convicção que dEle virá o sustento, virá a direção, e tudo o que for necessário!

 

Enfim, tudo isso também me lembra que Jesus disse: “Eu sou o caminho, a verdade e a vida”. E de fato, quando verdadeiramente entregamos a nossa vida a Ele, e entregamos o controle, deixamos os nossos caminhos tortuosos para trás e Ele nos guia no caminho preparado por Ele, nos faz conhecer a verdade sobre Deus e sobre nós mesmos, e neste caminho, finalmente encontramos a verdadeira vida. E assim eu sigo, cada dia confiando mais em Deus, e sempre tendo paz no coração, pois a minha vida, está nas mãos certas.

 

“Entrega o teu caminho ao Senhor;

confia nele, e ele tudo fará.”

Salmos 37:5

“Disse-lhe Jesus:

Eu sou o caminho, e a verdade e a vida;

ninguém vem ao Pai, senão por mim.”

João 14:6

 

———————————–

O filme publicitário abaixo, da KIA, fala de coisas irreais, como por exemplo, um duende que salpica sonhos nos mortais. Contudo, dentro do  sonho não realizável de controlarmos toda a nossa vida e sermos absolutos senhores dos nossos destinos, quando desejamos demais, saímos da realidade e os sonhos humanos tornam-se nada mais que alucinações. Com vocês, o comercial do Kia Optima.

 

Share

Um comentário em “Perdendo o controle

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*
*
Website