SAUDADE DO QUE EU AINDA NÃO VI.

Certa vez me contaram que muitos negros que eram escravizados morriam de banzo, que é um tipo de saudade tão apertada que a pessoa entra em inanição e falece. Meu irmão disse que meu pai quase morreu de banzo quando se separou da família e foi morar sozinho numa cidade muito distante, longe de todos os amigos e parentes.


Saudade é um sentimento muito dolorido, que todos já sentiram em algum momento em suas vidas. Sentimento que, se por um lado nos machuca, por outro distingue em nós as coisas e pessoas que gostamos muito e as que nem tanto. A saudade do que passou nos ensina a aproveitar o hoje, posto que o presente virará pretérito no futuro, portanto, carpe diem, para sofrer menos amanhã.


Rubem Alves, um nostálgico inveterado, foi brilhante ao afirmar que “a saudade é a nossa alma dizendo para onde ela quer voltar”. Apesar de doer, a saudade mostra que a vida sempre tem capítulos felizes. Se o capítulo chamado hoje não está legal, liga não, isso passa. Talvez amanhã será um capítulo que fará com que seu depois-de-amanhã sinta dele saudade…

Mas quando a saudade aperta, ela não cabe dentro do coração e então, escorre pelos olhos…

A saudade torna-se especialmente insuportável quando o presente é angustiante. Quando o tempo vivido foi bom e a realidade tem estado muito dura, muitos tendem a recusar o hoje, fantasiando o ontem. Conta a estória que Jó perdeu tudo e, de milionário, converteu-se num indigente enfermo. Em sua nova vida, Jó se lembrava do passado e dizia: “Como tenho saudade dos meses que se passaram, dos dias em que Deus cuidava de mim” (Jó 29:2). Esta é a sensação que muitos temos quando nosso presente não está embrulhado em papel brilhante e amarrado com fita. Tendemos a crer que Deus se esqueceu de nós… OU até que jamais de nós lembrou… Será que Ele está mesmo morto?

Eu tenho muitas saudades do meu passado. Tenho saudades de quando era criança em Goiânia. Dos meus amigos do “ginasial”. Da minha banda de rock. Do meu primeiro amor ao Senhor. De tomar banho de banheira com meus filhos quando eram crianças. De ficar até de madrugada com casais amigos, bebendo vinho e ouvindo música, ambos italianos. De não saber o quão mais complicada a vida é do que parecia ser.

Um segredo: sou meio melancólico! Mas fujo deste sentimento por saber que ele é nocivo e não produz frutos agradáveis. Às vezes, quando a melancolia me pega de jeito (Graças a Deus que são poucas estas vezes), ouço Belchior escondido, assim permito que minha alma “ame um passado que ainda não passou, recuse um presente que machuca, e não veja o futuro que me convida…”(Neruda), mas logo, desisto da melancolia para abraçar a vida do hoje, que por ser uma dádiva de Deus, chamamos de “presente”, e também sonhar cheio de esperanças com um amanhã melhor.

Todavia, de todas as saudades, a que mais me machuca é uma saudade que sinto de tudo que eu ainda não vi. Quando Renato Russo escreveu esta poesia, identifiquei-me. “Tem gente que tem saudade do que nunca existiu, e isto dói bastante”. Mas eu estou no trem daqueles que sentem falta majoritariamente do que ainda não conhecem:




“E é só você que tem
A cura pro meu vício
De insistir nessa saudade
Que eu sinto
De tudo que eu ainda não vi.”

Renato Russo, em Índios.

Minha maior saudade é a saudade do Céu. Já quis até morrer para poder matar a saudade que tenho do Céu. Quero muito poder sentar no colo do meu Pai do Céu. Agarrar aquelas barbas com muita força. Beijar sua testa. Rir sem parar. Rir até chorar, mas… Sem choro, pois lá não terá lágrimas. Morro de saudades de caminhar de mãos dadas com meu Pai do Céu e bater longos papos sobre vida, sobre amor e sobre coisas que sequer sei que existem. Não quero largá-lo. Morro de saudades… Saudade do que ainda não vi.

Esta é a saudade que mais aperta meu coração e mais me faz sofrer. Meu consolo? Ao contrário da das coisas que passaram, esta saudade viciosa será plenamente curada, posto navegar nas ondas do amanhã, que compulsoriamente virão, não nas de ontem, que não mais moinhos movem.


—————————–


QUEM ME DERA… AO MENOS UMA ÚNICA VEZ…



Luciano Maia

ARTIGO EXTRAÍDO DO LIVRO “MEU AMIGO RICO”, DE LUCIANO MAIA. PARA SABER MAIS SOBRE O LIVRO, CLIQUE AQUI: www.meuamigorico.com.br

Compartilhar

51 comentários

  1. kelly ferreira /

    Amei esse texto,,,voce como sempre um homem cheio da boa e agradavel palavra de Deus.

  2. Anonymous /

    Obrigada Rev. Luciano!

    Me permiti compartilhar desta linda mensagem e do convite com alguns amigos de Brasília.
    Posso não estar aí, mas gostaria que eles estivessem neste domingo.
    Vai ser uma bençãom, pois já o é.

    A paz do Senhor!

    Sandra, de Belgrado

  3. Anonymous /

    Como sonhadora compulsiva, digo:

    Lindo , esse texto!

    beijo

    Re

  4. Anonymous /

    Lu, esse posting seu sobre a saudade saiu bem da sua cabeSSa? O ele foi inspirado em alguma crise atual de algum amigo seu?
    Beijo

  5. Anonymous /

    Ooooooh! Entao voce mora dentro do meu coracao, pra ter entendido desse jeito a saudade que eu tenho de gente "que fala a minha lingua"…

  6. Anonymous /

    Oi, Luciano, parabéns pelo texto; amei!
    Abração
    Márcia Maria

  7. Anonymous /

    LUCIANO:
    SEU TEXTO CUTUCOU O MEU BANZO… EU SOU SAUDADE. O TEXTO DO RENATO RUSSO: A ADELIA DISSE PARECIDO: AI QUE SAUDADE!!! DE QUE? MEU DEUS, NÃO SEI.

    OBRIGADO POR ME HAVER COLOCADO NO SEU LINDO TEXTO.

    ABRAÇO DO RUBEM ALVES

  8. Anonymous /

    Meu lindo! Seu texto resumiu minha crise. To chocada.

    Sabe onde eu fui na quinta? Milao, no show room do Valentino. Lu, foi como ir numa galeria de arte. Abaixo os preconceitos contra haute couture! Depois de conto a experiencia.

  9. Q texto lindoo…
    Encontrei-me em cada palavra.Parabéns!!

    Morgana Medeiros- http://mmedeiross.blogspot.com/

  10. Anonymous /

    autenticidade é tudo. amei o texto!

    Simone Amaral

  11. Anonymous /

    Um dos textos mais belos que li!

    Alexandre

  12. Anonymous /

    O post é belíssimo e verdadeiro.
    A primeira vez que ouvir a palavra: "banzo" foi em uma fase da minha vida das mais dolorosas e eu ainda não sabia o significado e muito menos a sensação que ela realmente causaria. Com o passar do tempo, saudade é algo diário que muda de estágio de acordo com os dias que me sinto mais propícia em aceitar que ela existe.

    Toda vez que tenho saudade do meu futuro, lembro do poema de Carlos Drummond de Andrade, "A dor do não vivido". Saudade do passado é nostalgia, do futuro, incerteza e do presente é a esperança em Deus que tudo nesta vida é passageiro, inclusive a saudade.

    Um forte abraço.

    Cris Barbosa

  13. Anonymous /

    neste momento em que leio o seu texto ouço Belchior. (só para constar)
    cristina martins

  14. Ana /

    Conheci o blog hoje depois de ler essa reflexão linda o blog entrou nos meus favoritos. Parabéns.
    Mesmo católica me senti respeitada, me identifiquei demais o texto é lindo, delicado, ai nem sei, fiquei sem palavras.

    Saudade do que ainda não tenho? O deus de pelúcia! hahaha.

    Um abraço.
    Ana.

  15. Diogo G. Dos Santos /

    Ontem, 01/09 completei um ano sem fumar, uma felicidade imensa por tal ato! Enquanto estava feliz, um super amigo faleceu por causa de um cancer no pulmão não diagnósticado. Ele não fumava, corria em maratonas e era muito querido por todos. Hoje amanheci no velório, depois de não dormir com uma saudade imensa da sua risada, do seu modo sarcástico engraçado e como ele me dizia que precisava cuidar mais da minha saúde! Por mais chateado que eu estava, pensei, vou olhar o ”Um Sábado Qualquer” vai me animar como todos os dias. Logo de cara encontrei o ”Café com Deus”, me fez muito bem vir aqui! Deus me deu aquilo que eu realmente precisava, me mostrou o caminho para a minha paz! L Sempre! Amei o site e os posts que pude ver!

    Parabéns!

    E muito obrigado pelas palavras.

    Diogo G. Santos (Luto #L Sempre)

  16. Mais um texto que(Com os devidos créditos )eu vou publicar no meu blog!Perfeito, perfeito!O final então é tudo: “saudade do que ainda não conhecem” Foi tudo!Tenho saudade de muita coisa, mas realmente a dor que me faz a saudade é maior daquilo que ainda não vi e nem vivi.Mas matarei esta saudade assim que estiver vivendo o que ainda não vivi!

  17. Me lembrei da música do Zeca Pagodinho e do Marcelo D2: Tá vendo que maldade
    Que a saudade fez comigo
    Me deu como castigo a solidão,
    Me fez chorar.
    Ela sabe muito bem
    Que sem amor corro perigo
    Por isso que eu lhe digo:
    A saudade é muito má.

  18. Gostei muito do seu texto e do seu site. Escrever palavras em bom tom, sem fazer as pessoas se sentirem forçadas, coagidas, sem zombar das pessoas e/ou até mesmo sem se fazer superior quando se discute religião é algo muito complicado.
    A sensação que tive é que esse texto poderia ser sobre qualquer coisa, e ainda assim, passaria a mensagem desejada.

    Parabens! E continue assim. :)

  19. Gabriel Fontanezi(usq) /

    Boa tarde, lendo sábado qualquer hoje eu vi um informe sobre esse blog e resolvi entrar para ver, confesso que com certa relutância, pois não sou um grande fã de nada muito gospel(gosto muito de Rodolfo, ex raimundo, mas…) e após assistir o vídeo do cordeiro de Deus continuei descendo a página e vi o Texto, e tenho que confessar, foi um dos mais lindos textos de saudades que já li na vida!
    Eu sinto sim muitas saudades de muitas coisas, em especial de pessoas, que não vejo mais pela distancia, e de meu avô que já descansa em pais no colo de Deus com toda certeza! E este texto veio bem a calhar, pois a saudade está cada vez mais difícil, a pra melhorr ainda mais seu texto(se é que é possível) ainda você colocou índios como música tema, e essa é uma de minhas músicas preferidas do legião urbano(que gosto muito)! Chorei muito mesmo, tamanha emoção que foi transmitida com suas palavras! Quero lhe dizer que adorei o blog e começarei a lê-lo sempre, e parabenizá-lo, pois se o intuito do blog era aproximar as pessoas de Deus e fazê-las entendê-lo, você está no caminho certo!

  20. Drih /

    Uau que texto lindo… Achei esse site atravez do Um Sabado Qualquer e adorei muito bonito mesmo parabens!!

  21. Fabs /

    Sei que fiquei com sono após ler isso, Logo existo \o

  22. Fabs /

    Tem pessoas que estão aqui por causa do Deus de Pelúcia= FATOQ

    • Oi Fabs,

      E você? está qual das duas categorias?
      Se quer o deus de pelúcia: torço por você.
      Se não quer o deus de pelúcia: Obrigado por sua visita e por investir seu tempo lendo e comentando.

      Abração!

      Maia

  23. Aline /

    Engraçado, entrei no blog a partir do ‘Um sábado qualquer’ e fiquei me perguntando o que encontraria, confesso que várias coisas passaram pela minha cabeça, menos versos do poeta Renato Russo.
    Adorei os textos, este em especial, certamente virei mais vezes.

    Ah, um conselho: quando a saudade escorre pelos olhos, como agora, só nos resta deixá-la ir…

  24. Querido Deus, ou me dá olhos novos e melhores, ou aumente a bendita letra…

  25. LOL cara que Legal !!!! meu sinceros parabén Adorei como você usou elementos da Cultua POP para Tornar sua mensagem mais Clara e Inteligível !!! meu sinceros Parabéns novamente certamente tocou no coração de alguém ,Continue assim prege a palavra em tempoe fora de tempo !!!! sem exteriótipo

  26. Também conheci o blog através do “Um Sábado Qualquer”, e devo confessar que quase não o acesso quando vi a descrição “um blog religioso”. Ainda bem que aqui estou, pois não tê-lo feito seria uma grande pena, talvez até mais uma saudade de algo ainda não conhecido, mas esta falta eu não vou carregar, rsrsrsrs.
    Deus sabe que não sou religiosa, aprendi com meu pai a ser deísta desde pequenininha, a aceitar que algo maior nos rege, algo muito bom, algo que com a minha mãe aprendia a chamar de Pai ou Deus.
    Enfim, independente de qual seja a crença do leitor, creio que o seu blog conseguiu algo importante: tocar o coração de quem o lê.
    Felicidades!
    xxoo

    • Beleza, Ana,
      Eu também não sou religioso. religião é algo muito chato! Hehehehehe.

      Sou apenas alguém que curte a vida do lado de Deus, assim como meu blog reproduz.

      Viva em paz!

      Maia

  27. lksbck /

    eu estava extremamente triste agora na internet, devido a algumas coisas que tem acontecido na minha vida.. relacionadas a coisas mal resolvidas no passado e também a saudade do qual esse post fala.. e ler isso me deu um ânimo sem igual, muito obrigado, Deus te abençoe! (:

  28. Ana /

    Hoje conferindo os comentarios vi e agradeço a consideraçao Luciano.
    Li mais alguns posts e cara na boa virei leitora frequente do blog. Parabens!

    P.S. Quem GANHEI o Deus?

  29. Graça e Paz.

    Texto maravilhoso que me fez sentir, de fato senti a saudade contida no texto …

    Tomei a liberdade de republicar o texto, espero que não lhe seja mau.

    Grande abraço meu querido, desde já sou leitor desse blog.

    Eduardo Gazola

  30. Esse texto mexeu comigo. Esta semana estou nessa fase “melancólica”. A saudade é tanta que como você falou ,escorre pelos olhos…. Saudade do que não vejo mais, do que não toco mais….
    Mas é bom ter este momento, depois ficamos mais fortalecidos!!!

    Beijos.
    Adorei seu texto.

  31. Laura /

    Eu Ainda não sei o porque abri o e-mail, nao costumo fazer isso, ate porque faz muito tempo que nao mexo em internet. Achei que hoje seria mais um dos dias felizes da minha vida ao lado da pessoa que amo, mas não foi bem assim.
    Sei que pessoas assim como eu sao imperfeitas e foi por acreditar na perfeicao que eu me decpcionei.
    Sou católica,nao fui a missa e ate relaxei por achar que Deus deve ter desistido de mim, ja que faz tanto tempo que nao o procuro de verdade. Só sei que tudo o que eu li nesse site, principalmente o que foi mandado sobre o texto da saudade, até sua palestra Luciano, com toda certeza descobri que Deus não desistiu 100% de mim.
    Ainda nao sei oq fazer, mas nessa mesma semana melancólica ja me senti aliviada, confortada por Deus de alguma forma.

    Continue com essa missão, e que Deus te abençoe.

    • Laura,
      tenha certeza que foi o Espírito de Deus que trouxe voc~e aqui, pois se vc está aliviada e mais tranquila, então está com Deus dentro de vc.
      deus é paz e não angústia.
      Jesus é perdão e não culpa, ao contrário que muitos erroneamente pregam.

      Que Deus a abençoe muito em 2012!

      Luciano Maia

  32. Mayara /

    Ei pastor! Muito legal seu blog!
    Conheci hoje depois de clicar no link que vc mandou para os jovens da asa sul por e-mail.
    Vc é um cara inspirado e te escutar é sempre muito, muito bom.
    Vou começar a te “ler” agora. rsrs
    Grande abraço.

  33. fernando doleron /

    meu caro amigo. por favor, me ajude. anos atrás, de vez em quando, eu encontrava entre os recortes colados antigos de cinema do meu pai, já falecido recentemente, um recortezinho de jornal, solto e bem velhinho, com a seguinte poesia : “Longe, longe, muito longe, bem dentro das terras tristes apita um trem. Meu Deus, que saudade. Não sei de quê, não sei de quem”.
    De quem seria isso ??? Já pesquisei bastante no Google, sem sucesso. solicito ajuda de qualquer um de vocês. forte abraço a todos. Fernando D’Oleron, Moreno, Pernambuco.

    • Olá Fernando,

      A poesia é mesmo linda!

      Segui o mesmo expediente que você: procurei no Google de várias maneiras e …. Nada!
      Uma pena.

      Possivelmente tenha sido a poesia de algum autor anônimo, que jamais publicou algum livro…

      Luciano

  34. Meriane Sousa Brito /

    Estou maravilhada e com a alma rejubilando de tanta emoção por ler esse delicioso texto, muito obrigada por compartilhar comigo esse magnífico manjar…..

  35. Luciano, pode ter certeza que vc arranjou muitos fãs.

    • Olá Daniel,
      Mas que boa notícia que o Café com Deus tem alcançado fãs (mas que isto seja para a Glória somente de Deus)!

      Volte sempre!

  36. Mariana,
    sem te conhecer, sinto saudade.

  37. Hahahaha!

    Ótimo ouvir isto. Um coração colado no outro, promove concórdia e espanta o ódio.

    Saudade de pessoas como vc.

    Maia

Trackbacks/Pingbacks

  1. Saudade… | Mariana Lino - [...] hoje lendo um texto num blog chamado Café Com Deus e acabei vendo o título 'Saudade do que eu …

Deixe um comentário